Binance US avaliada em US$ 4,5 bilhões, Circle entre novos investidores

LinkedIn

A subsidiária americana da Binance, a maior exchange de criptomoedas do mundo em volume de negociação, anunciou na quarta-feira (06) que levantou mais de US$ 200 milhões da ala de risco da Circle e de outros investidores, incluindo VanEck e RRE Ventures.

A empresa está chamando o investimento de “seed round” – um termo geralmente associado a pequenas startups – e disse que o novo dinheiro avalia a Binance.US em US$ 4,5 bilhões.

Brian Shroder, CEO da Binance.US, disse que a empresa usará o financiamento para acelerar o crescimento de sua plataforma de negociação à vista, lançar novos produtos e serviços e buscar aquisições.

Tudo isso ocorre em um momento em que a empresa controladora da Binance.US está fazendo um esforço para ganhar a confiança de governos e reguladores em todo o mundo, que acusaram a empresa de contornar as leis de conhecer seu cliente e fechar os olhos para práticas comerciais suspeitas.

Parte desse esforço envolveu a contratação de ex-agentes fiscais e policiais e executivos do mundo tradicional de tecnologia e finanças – mais recentemente, a Binance nomeou um veterano da Microsoft como seu CTO.

As apostas são particularmente altas nos Estados Unidos, onde a Binance está sob investigação do Departamento de Justiça, SEC e outras agências. Isso pode explicar em parte a decisão da empresa de contratar Shroder, um ex-executivo discreto da Uber, para liderar suas operações nos EUA.

As ambições da Binance nos EUA

No passado, as linhas divisórias entre a controladora e a Binance.US eram confusas. Em 2020, a Forbes publicou evidências para sugerir que o objetivo da subsidiária americana da Binance era desviar a atenção dos reguladores do fato de muitos americanos estarem negociando em sua plataforma global pouco regulamentada.

A contratação de Shroder há seis meses e a nova rodada de sementes apoiada por investidores conhecidos sugerem que a Binance.US pode estar virando uma página, embora o fundador da Binance, Changpeng “CZ” Zhao – que até recentemente se divertia em operar como um dissidente – manterá um mão indireta.

“Binance.US e Binance.com operam como entidades legais separadas”, disse Shroder. “CZ é o fundador e presidente de ambas as empresas. A equipe de gerenciamento da Binance.US e eu somos responsáveis ​​pelas operações diárias da empresa, pela tomada de decisões e pela estratégia geral de negócios”.

No curto prazo, o maior desafio para a Binance.US provavelmente será atrair participação de mercado em um mercado dominado pela Coinbase. De acordo com dados da CoinGecko, o volume recente de negociações no mercado spot de 24 horas para a Binance.US foi de cerca de um décimo do da Coinbase, embora o volume da empresa tenha sido o terceiro no geral – e bem a frente da FTX, outra novata de alto perfil.

De acordo com Shroder, a Binance.US já fez grandes incursões com pouco marketing e espera aumentar os esforços de publicidade após a rodada de financiamento.

“Acreditamos também que nossa plataforma tem vantagens competitivas inerentes – incluindo taxas baixas e uma experiência de negociação mais sofisticada – que continuará a atrair clientes de varejo e institucionais”, disse Shroder.

Atualmente, Binance.US. diz que pode processar 1,4 milhão de pedidos por segundo e que oferece mais de 85 tokens e 190 pares de negociação em sua plataforma.

Enquanto isso, CZ está aumentando suas ambições para a marca Binance como um todo, declarando recentemente que planejava uma série de aquisições entre empresas não criptográficas para aumentar a presença geral do setor. O fundador já fez uma dessas incursões – recentemente investindo US$ 200 milhões na Forbes.

Outros investidores da seed round da Binance.US são Foundation Capital, Original Capital, VanEck, Gaingels e Gold House. A Binance descreve os dois últimos investidores como “empresas orientadas por missões focadas em diversidade, equidade e inclusão”.

Com informações de Decrypt

Deixe um comentário