EXMO sai da Rússia e vende base de usuários para comprador sem nome

LinkedIn

A EXMO, uma exchange de criptomoedas com sede em Londres que costumava ser uma das rampas de acesso para usuários na Rússia e no Leste Europeu, está cortando laços com a Rússia para evitar a associação prejudicial depois que o país invadiu a Ucrânia, disse a empresa em um post no blog na segunda-feira.

“Após cuidadosa consideração e avaliação da estrutura da empresa, chegamos à conclusão de que atender clientes russos e bielorrussos nos impedirá de maximizar nossos pontos fortes e ter um melhor desempenho. Neste clima atual, que é altamente incerto, devemos priorizar nossa adaptabilidade seguindo uma estratégia mais rígida”, diz o post do blog.

O anúncio continua dizendo que a EXMO “decidiu vender o negócio de ativos digitais na Rússia e na Bielorrússia”.

A EXMO RBK LTD, sediada no Cazaquistão, vai começar a atender os usuários na Rússia, Bielorrússia e Cazaquistão, de acordo com o anúncio, em um site separado, EXMO.me. Neste ponto, a interface do EXMO.me replica totalmente a do EXMO.com.

O comprador, cujo nome a EXMO não divulgou, é “uma empresa de desenvolvimento de software com sede na Rússia, que foi um dos fornecedores a fornecer serviços de engenharia para a EXMO durante os últimos três anos”, de acordo com o post do blog.

A EXMO deixará de integrar novos usuários na Rússia, Bielorrússia e Cazaquistão. Os pares de negociação do rublo russo foram desativados no EXMO.com em 15 de abril, disse a empresa.

Além disso, Edward Bark, um dos fundadores da EXMO com cidadania russa, está deixando a empresa e transferindo sua participação para Serhii Zhdanov, atual CEO da EXMO.com. A Bark era dona de 37,51% da empresa, e agora Zhdanov detém uma participação “ligeiramente” maior do que outros acionistas, disse Zhdanov. (O EXMO Group opera várias entidades legais na Europa e nos EUA, cada uma com seu próprio conjunto de acionistas.)

Decisão difícil

A decisão foi difícil, “no entanto, após a invasão da Ucrânia pela Rússia, o EXMO.com como um grupo global deseja evitar arriscar nossos planos de expansão global operando em mercados de alto risco”, diz o post do blog.

Os planos de expansão da EXMO incluem garantir uma licença de provedor de tecnologia de contabilidade distribuída em Gibraltar, bem como autorização da Financial Conduct Authority (FCA) no Reino Unido e licenças de negócios de serviços financeiros (MSB) em 40 estados dos EUA, disse Zhdanov.

“Pelos padrões internacionais de avaliação de riscos, a Ucrânia é menos arriscada para nós do que a Rússia”, disse Stankevich.

A EXMO não é a primeira exchange de criptomoedas a se distanciar da Rússia desde o início da guerra. Desde fevereiro, várias plataformas de criptomoedas seguiram a liderança de empresas tradicionais como Visa, Mastercard, Western Union e outras. Eles incluem as exchanges de criptomoedas Binance, que pararam de aceitar pagamentos por meio de cartões bancários russos; CEX.io, que suspendeu depósitos e saques para usuários russos e bielorrussos; e CoinZoom, que suspendeu o registro de novas contas da Rússia.

 Com informações de CoinDesk

Deixe um comentário