O cofundador da Ethereum, Vitalik Buterin, afirma que não é mais um bilionário

LinkedIn

A recente crise do mercado de criptomoedas não prejudicou apenas investidores, mas também empreendedores notáveis, apagando bilhões de dólares de suas fortunas. Vitalik Buterin, cofundador da Ethereum, é um exemplo.

Em 2014, o jovem de 28 anos fundou a Ethereum (BINA:ETHUSDT), uma criptomoeda líder por capitalização de mercado.

Buterin revelou nas redes sociais na sexta-feira que não é mais bilionário. Depois de atingir uma alta de mais de US$ 4.800 em novembro do ano passado, a moeda digital perdeu 60% de seu valor. O ETH está sendo negociado atualmente a US$ 2.080,74, de acordo com a Binance.

Em resposta a um tweet sobre outros bilionários – Elon Musk e Jeff Bezos, que estão no topo da lista dos indivíduos mais ricos – ele admitiu isso.

Em 2014, Vitalik e vários outros engenheiros, notadamente Charles Hoskinson (criador do Cardano) e Joseph Lubin, estabeleceram a plataforma Ethereum. Vitalik possui uma carteira digital cujo conteúdo ETH foi avaliado em aproximadamente US$ 1,5 bilhão em novembro.

O mais jovem bilionário de criptomoedas

Em 2021, quando o preço do Ethereum ultrapassou US$ 3.000, Buterin se tornou o mais jovem bilionário de criptomoedas.

No entanto, essa tendência se inverteu e a ETH está atualmente lutando contra a maré. Apesar disso, é a segunda maior criptomoeda do mundo, com uma avaliação de mercado de cerca de US$ 300 bilhões.

Sexta-feira em outro tweet, Buterin declarou:

Corrigir um erro em suas crenças requer aceitar que uma versão anterior de si mesmo trouxe um valor prejudicial ao mundo (especialmente se você estiver na política, mas também em alguns outros setores).

Devido a um declínio vertiginoso nos preços das moedas digitais e à turbulência em torno da stablecoin algorítmica TerraUSD e seu token LUNA, as participações em criptomoedas sofreram uma dura surra.

Outros bilionários também sofrem

De acordo com o Bloomberg Billionaires Index, Changpeng Zhao, fundador da exchange de criptomoedas Binance, viu mais de US$ 80 bilhões, ou 84% de sua riqueza, evaporar este ano.

Da mesma forma, o Bitcoin caiu para aproximadamente US$ 29.483 hoje (22 de maio), uma queda de 2,5% na semana passada, caindo junto com as ações devido a temores de alta inflação e aumento das taxas de juros.

A maior criptomoeda do mundo perdeu cerca de um quinto de seu valor até agora este mês, já que o colapso impressionante do TerraUSD, a chamada stablecoin, agitou os mercados de criptomoedas que já estavam despencando devido à venda generalizada de apostas arriscadas.

O programador canadense e autor de ascendência russa é um defensor declarado do blockchain e está promovendo sua transição para uma arquitetura de prova de participação (PoS) ainda este ano.

Com informações de Bitcoinist

Deixe um comentário