Coinbase busca licenças na Europa, acelerando crescimento fora dos EUA

LinkedIn

A Coinbase (NASDAQ:COIN) está buscando licenças em vários países da Europa como parte de uma expansão agressiva na região.

A Coinbase também é negociada na B3 através do ticker (BOV:C2OI34).

A exchange já tem presença ativa no Reino Unido, Irlanda e Alemanha, mas quer abrir operações na Espanha, Itália, França, Holanda e Suíça, segundo Nana Murugesan, vice-presidente internacional da Coinbase. A Coinbase contratou recentemente seu primeiro funcionário na Suíça, diz ele.

A gigante de criptomoedas dos EUA está olhando para os mercados internacionais para impulsionar o crescimento em meio a temores de um iminente “inverno cripto”. No início deste mês, a Coinbase anunciou que demitiria 18% de sua força de trabalho, enquanto outras empresas, incluindo Gemini e BlockFi, tomaram medidas semelhantes em meio a uma queda nos preços das criptomoedas.

Ainda assim, Murugesan diz que a Coinbase está planejando contratar um gerente regional para supervisionar suas operações na Europa. A empresa está priorizando principalmente “funções de missão crítica” em áreas como segurança e conformidade após um período de rápido crescimento, acrescentou.

“Quando entramos no Reino Unido e na Europa, isso foi realmente durante o último grande mercado em 2015-2016”, disse Murugesan, que ingressou na Coinbase em janeiro de 2022.

“Mas então, quando você avança para 2017-2018, o Reino Unido agora é uma grande parte do nosso negócio, assim como a Europa”, acrescentou. “Entramos, fizemos apostas. Tenho certeza que foi provavelmente um momento difícil. Mas valeu a pena, significativamente.”

A Coinbase está em negociações para obter aprovação das regras contra lavagem de dinheiro em vários países, incluindo a França, disse Katherine Minarik, vice-presidente legal da empresa.

A empresa está se preparando para o MiCA, ou Markets in Crypto-Assets, um marco na legislação da UE que visa harmonizar a regulamentação de criptomoedas em todo o bloco.

Autoridades do Conselho Europeu e do Parlamento devem se reunir na quinta-feira para tentar chegar a um acordo sobre as regras. Se tudo correr bem, a expectativa é que o MiCA entre em vigor até 2024.

Uma vez aprovado, permitirá que a Coinbase tenha “passaporte” para seus serviços para todos os 27 estados membros da UE, disse Minarik.

Lento e constante ganha a corrida?

Embora a Coinbase seja a maior exchange de criptomoedas dos EUA, ela enfrenta intensa concorrência de novos players como Binance, FTX e Crypto.com. A afiliada da Binance nos EUA recentemente abandonou as taxas para clientes que negociam bitcoin, notícias que derrubaram as ações da Coinbase.

A Coinbase está correndo para acompanhar seus rivais, que estão ganhando força significativa em territórios fora dos EUA.

No Oriente Médio, por exemplo, tanto a Binance quanto a FTX obtiveram licenças em Dubai. A Binance também garantiu autorização na França e na Itália e está buscando aprovações em outros países europeus.

“Sendo uma empresa de capital aberto, a fasquia é muito alta”, disse Murugesan. “Às vezes pode demorar um pouco mais para fazer algumas coisas. Mas queremos manter o rumo.”

Ao mesmo tempo, os principais players de criptomoedas – incluindo a Coinbase – estão sofrendo com uma queda dramática nos preços das moedas digitais, que alguns investidores acreditam que será o início de uma desaceleração muito mais longa conhecida como “inverno cripto”.

Uma confluência de fatores está pesando no mercado, incluindo taxas de juros mais altas do Federal Reserve e o colapso da stablecoin UST. A queda nos preços dos tokens, por sua vez, levou a problemas de solvência em empresas de investimento que se encheram de alavancagem, como a Three Arrows Capital.

A Coinbase deu uma reviravolta repentina em sua estratégia de corte de custos este mês, anunciando planos para cortar cerca de 1.100 funcionários globalmente. Embora os cortes tenham afetado 18% do total global de funcionários da Coinbase, Murugesan diz que sua força de trabalho no Reino Unido foi menos impactada, com cerca de 7% dos cargos cortados localmente.

A Coinbase relatou um declínio de 27% nas receitas no primeiro trimestre, uma vez que o uso geral da plataforma diminuiu. Atualmente, o negócio depende fortemente de taxas de negociação. Mas espera diversificar em novos produtos, incluindo tokens não fungíveis e recompensas semelhantes a juros conhecidas como staking.

A Coinbase tem cerca de 9,2 milhões de usuários de transações mensais em todo o mundo, mas menos de 50% deles estão usando o aplicativo para negociação, disse Murugesan.

Com informações de CNBC

Deixe um comentário