Por que o Bitcoin ainda pode ser considerado um bom investimento?

LinkedIn

A performance das principais criptomoedas em 2022 está longe de ser o que os investidores esperavam quando realizaram o planejamento para o ano. O Bitcoin, por exemplo, depois de bater máximas históricas em novembro de 2021, se vê diante de um cenário de queda que chegou a -70% em alguns meses e marca -35% apenas em junho.

De fato, números mostram que o momento pode ser considerado um marco no histórico das criptomoedas. Afinal, ainda usando o BTC para exemplificar, todos os impactos de ações macroeconômicas e o comportamento de investidores e instituições do universo cripto, fizeram com que o ativo alcançasse o menor patamar desde 2020, rompendo o suporte de US$20 mil.

Mesmo diante desse cenário atual, não existem dúvidas sobre o potencial desses ativos. Estamos sim caminhando para um futuro breve em que criptomoedas serão os principais ativos da economia mundial, mesmo que ainda não seja possível afirmar quando esse momento de queda vai se reverter.

O que precisa ficar para o investidor são aprendizados. Não há como negar que todo esse histórico das criptomoedas gerou uma economia impressionante, muitos aproveitaram esses últimos anos de valorização e realizaram operações com rentabilidade nunca vista em nenhum outro ativo.

Justamente por isso, agora, ao invés de achar que é terra arrasada, o caminho mais inteligente é analisar esses cenários. Além da análise de padrões e gráficos dos ativos, são necessários também aprendizados sobre comportamento diante de um mercado volátil como o de criptomoeda.

Ainda vale a pena investir em Bitcoin?

Nos últimos dias, a pergunta sobre o investimento em Bitcoin ganhou destaque. De um lado, há quem acredite que o momento é ideal para comprar Bitcoin hoje, afinal, a premissa desse ativo é comprar na baixa e vender na alta.

Por outro lado, há quem acredite que esse ativo está se encaminhando para o fim e que investimentos agora resultarão em prejuízos. Esse pensamento tende a perder força, já que, desde 2010, em 455 vezes houve algum comentário sobre a morte do Bitcoin.

Dessa forma, mesmo com o momento, o primeiro pensamento tende a apresentar mais sinais de veracidade. Entender se vale a pena comprar Bitcoin agora é algo complexo, que depende de questões como perfil de investidor, momento do mercado e análise de riscos, porém, alguns fatores fazem com que o mercado acredite em uma reação do Bitcoin.

  1. Aumento do número de carteiras com 1 BTC inteiro

Números que apresentam a quantidade de BTC em carteira mostram que o total de “wholecoiners” (aqueles que possuem moedas inteiras) cresceu nas últimas semanas. Somente na última semana, 13.091 novas carteiras passaram a ter, pelo menos, uma unidade inteira de Bitcoin.

Esse dado mostra que investidores de médio e grande porte estão aproveitando o momento para ampliar a carteira e aumentar o número de criptomoedas. Isso corrobora com a ideia de que comprar na baixa é uma oportunidade interessante quando essa alternativa faz parte de um planejamento de investimento adequado.

  1. Fundamentos do Bitcoin estão intactos

O Bitcoin é, sem dúvida, a criptomoeda mais segura e madura do mercado. Há algum tempo não presenciamos acontecimentos relacionados à segurança da rede do BTC, fato que proporciona maior confiança aos investidores.

Além disso, cresce a cada dia o número de possibilidades de pagamentos e serviços que podem ser realizados por meio do Bitcoin. O fato dessa moeda ser um dos principais pilares da economia do futuro também não mudou.

Com isso, não há o que possa ser questionado sobre os fundamentos do BTC, nem tão pouco sobre sua relevância para o mercado e impacto em projetos futuros.

  1. Ciclo do Bitcoin

O Bitcoin possui um ciclo baseado em seu processo de halving, que acontece a cada quatro anos e faz com que o número de novas moedas mineradas caia pela metade. Esse fato é essencial para que esse ativo seja escasso.

Olhando para o histórico do Bitcoin, é possível observarmos padrões que se repetem. Entre eles, vale destacar que em momento que marcar a metade do caminho até o próximo halving, é comum observarmos um movimento de correção, que precede altas históricas da moeda.

É sempre bom lembrar que o rendimento passado não garante o retorno futuro, porém, esse padrão serve como uma análise para o médio prazo e evidencia uma possível valorização após o halving que acontecerá em 2024.

Deixe um comentário