Banco Central de Cingapura pondera mais salvaguardas no comércio de criptomoedas no varejo

LinkedIn

A Autoridade Monetária de Cingapura (MAS) está considerando introduzir mais salvaguardas no acesso à criptomoeda entre o público em geral, disse um alto ministro do governo.

Tharman Shanmugaratnam, ministro encarregado do MAS, disse no parlamento na segunda-feira que o banco central pode “colocar limites à participação do varejo” e introduzir regras sobre o uso de alavancagem em transações de criptomoedas.

Shanmugaratnam foi questionado pelo membro do parlamento Murali Pillai se o MAS pretendia implementar mais restrições nas plataformas de negociação de criptomoedas.

“Desde 2017, o MAS tem alertado consistentemente que as criptomoedas não são investimentos adequados para o público de varejo”, disse Shanmugaratnam. “A maioria das criptomoedas está sujeita a fortes oscilações de preços especulativos. Eventos recentes demonstraram vividamente os riscos, com os preços de várias criptomoedas caindo drasticamente.”

Em janeiro deste ano, o MAS introduziu diretrizes que limitam como as empresas de criptomoedas podem anunciar ao público, impedindo-as de comercializar seus serviços em áreas públicas ou mídias voltadas ao público, como jornais, transmissões, revistas ou plataformas de mídia social.

O diretor de fintech do banco central, Sopnendu Mohanty, disse recentemente que o MAS planeja ser “brutal e implacavelmente duro” com o “mau comportamento” na indústria de criptomoedas.

Em entrevista ao Financial Times, Mohanty disse que Cingapura impôs um “processo de due diligence dolorosamente lento … extremamente draconiano” para licenciar empresas de cripto para proteger a economia em geral.

Com informações de CoinDesk

Deixe um comentário