Exchange cripto Voyager Digital entrou com pedido de proteção contra falência do Capítulo 11

LinkedIn

A corretora de criptomoedas Voyager Digital (TSX:VOYG) entrou com pedido de proteção contra falência do Capítulo 11, tornando-se a mais recente vítima do caos nos mercados de ativos digitais.

A Voyager iniciou o processo de falência no Tribunal de Falências dos EUA para o Distrito Sul de Nova York na terça-feira (05), de acordo com um pedido da empresa. O arquivo lista ativos entre US$ 1 bilhão e US$ 10 bilhões, e passivos na mesma faixa.

Em comunicado, a empresa disse que possui cerca de US$ 1,3 bilhão em criptomoedas em sua plataforma e detém mais de US$ 350 milhões em dinheiro em nome de clientes do Metropolitan Commercial Bank de Nova York.

A Voyager sofreu enormes perdas com sua exposição ao fundo de hedge cripto Three Arrows Capital, que faliu na semana passada após deixar de pagar empréstimos de várias empresas do setor – incluindo US$ 650 milhões da Voyager.

“Acreditamos fortemente no futuro da indústria, mas a volatilidade prolongada nos mercados de criptomoedas e o default da Three Arrows Capital exigem que tomemos essa ação decisiva”, disse o CEO da Voyager, Stephen Ehrlich, em um tweet na quarta-feira.

As ações da empresa listada em Toronto perderam quase 98% de seu valor desde o início de 2022.

A Voyager diz que ainda está buscando a recuperação de fundos da Three Arrows Capital, ou 3AC, como é conhecido, inclusive por meio de processos supervisionados por tribunais nas Ilhas Virgens Britânicas e Nova York.

Na semana passada, a Voyager pausou todos os saques, depósitos e negociações em sua plataforma devido às “condições atuais do mercado”. Ehrlich na época disse que a Voyager estava buscando tempo adicional para explorar “alternativas estratégicas com várias partes interessadas”.

Várias outras empresas, incluindo Celsius, Babel Finance e Vauld, adotaram medidas semelhantes. Na terça-feira, a Vauld recebeu uma oferta de aquisição da Nexo, uma empresa rival, após suspender seus serviços.

O mercado de criptomoedas está enfrentando uma grave crise de liquidez à medida que as plataformas lutam para atender a uma enxurrada de saques de clientes em meio a uma queda acentuada nos preços das moedas digitais.

Os declínios nas criptomoedas começaram com uma ampla queda nos ativos de risco à medida que o Federal Reserve embarcou no aperto monetário e ganhou ritmo após o colapso da Terra, um empreendimento chamado stablecoin que valia cerca de US$ 60 bilhões em seu auge.

O Bitcoin,a maior criptomoeda do mundo, teve seu pior mês registrado em junho, caindo 38%. Os investidores estão se preparando para uma desaceleração muito mais longa nas moedas digitais conhecidas como “inverno criptográfico”.

Plano de reestruturação

A Voyager disse que a medida permitiria implementar um processo de reestruturação para que os clientes pudessem ser reembolsados.

Se tudo correr conforme o planejado, os usuários receberão uma combinação de criptomoedas em suas contas, rendimentos da recuperação de fundos da Three Arrows Capital, ações da empresa recém-reorganizada e tokens Voyager.

Os clientes com depósitos em dólares americanos recuperarão o acesso aos seus fundos assim que o processo de reconciliação e prevenção de fraudes com o Metropolitan Commercial Bank for concluído, disse a Voyager.

A Alameda Research, a loja de negociação quantitativa do bilionário Sam Bankman-Fried, estendeu à Voyager uma linha de crédito no valor de US$ 500 milhões em dinheiro e criptomoedas no mês passado, em uma tentativa inútil de ajudar a empresa.

A Alameda foi listada como o maior credor da Voyager no pedido de falência na terça-feira, com uma reivindicação sem garantia de US$ 75 milhões.

Bankman-Fried, que também fundou a exchange de criptomoedas FTX, tornou-se um credor de último recurso para a indústria problemática. Recentemente, ele concordou com a opção de comprar a empresa de empréstimo de criptomoedas BlockFi por até US$ 240 milhões – uma redução dramática dos US$ 3 bilhões em que foi avaliada pela última vez.

Alguns compararam os esforços de Bankman-Fried ao papel desempenhado por John Pierpont Morgan em resgatar os credores de Wall Street do colapso após uma série de corridas bancárias conhecidas como o pânico de 1907, que precedeu o estabelecimento do Fed.

Com informações de CNBC

Deixe um comentário