Petróleo fecha com queda, pressionado pela queda na demanda do aumento dos juros nos EUA e Europa, a política de covid-19 zero na China e escalada do dólar

LinkedIn

As cotações do petróleo fecharam com queda nesta quinta-feira, mas longe das mínimas do dia, quando chegaram a ficar abaixo dos níveis anteriores à guerra da Ucrânia.

O Brent chegou a cair 5%, a US$ 94,5 o barril, abaixo da cotação em 23 de fevereiro, de US$ 96,84. O WTI atingiu mínima em US$ 90,5, ante US$ 92,10 naquela data, um dia antes do início da guerra.

O mercado da commodity tem sido pressionado pela perspectiva de queda na demanda por causa do aumento dos juros nos EUA e na Europa e a política de covid-19 zero na China, além da escalada do dólar, resultado desse cenário.

O índice DXY alcançou uma nova máxima hoje, em 109,294 pontos. No fechamento, o contrato do Brent para setembro caiu 0,47%, a US$ 99,10 por barril, na ICE. O WTI para agosto recuou 0,54%, a US$ 95,78 por barril, na Nymex.

Informações BDM

Deixe um comentário