ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for pro Negocie como um profissional: Aproveite discussões em tempo real e ideias que movimentam o mercado para superar a concorrência.

Diante da inflação, a fusão do Ethereum está o tornando um investimento mais atraente que o Bitcoin?

LinkedIn

Ethereum (COIN:ETHUSD) recebeu todos os aplausos e atenção há duas semanas, quando executou sem problemas sua tão esperada fusão, uma mudança histórica para um sistema de prova de participação projetado para reduzir drasticamente o consumo de energia (cerca de 99% segundo algumas estimativas).

Agora, a segunda maior blockchain parece estar demonstrando outra promessa da fusão: maior resistência à inflação, um recurso que estava mais associado ao seu rival maior e mais conhecido, o Bitcoin (COIN:BTCUSD).

Nos dias desde a fusão, a taxa anual de emissão líquida da criptomoeda nativa do Ethereum, o ether (ETH), caiu em uma faixa de 0% a 0,7% em comparação com 3,5% anteriormente, estimou Lucas Outumuro, chefe de pesquisa de dados de criptomoedas e empresa de análise IntoTheBlock. A taxa de emissão líquida, também conhecida como taxa de inflação, é essencialmente a nova oferta dividida pela oferta existente.

O site Ultra Sound Money colocou a taxa de inflação anual em 0,19%, com base em dados que mostram que cerca de 8.100 ETH foram adicionados à oferta total desde a fusão.

Em um momento em que todos os bancos centrais do mundo estão fazendo malabarismos com a inflação – diante de trilhões de dólares em impressão e complicações graves na cadeia de suprimentos – a taxa de emissão mais baixa do Ethereum pode ajudar a aumentar seu apelo entre investidores de criptomoedas e mercados tradicionais.

Para comparação, a taxa de emissão líquida do Bitcoin está atualmente em torno de 1,75%, de acordo com Woobull.com. Por sua vez, o Federal Reserve dobrou seu saldo desde março de 2020 para um valor que chega a aproximadamente US$ 8,9 trilhões.

“O número de novos tokens adicionados à rede caiu substancialmente”, escreveu Simon Peters, analista de mercado da empresa eToro, em comunicado na terça-feira (27).

A queda na taxa de inflação do Ethereum decorre de dois fatores: uma redução nas novas emissões como resultado da mudança no sistema blockchain; e um mecanismo separado conhecido como “ EIP 1559 ”, onde as taxas pagas por transações de rede são “queimadas” ou retiradas de circulação.

Antes da fusão, a emissão de ether para recompensas de mineração sob o sistema de prova de trabalho ( PoW ) era de cerca de 13.000 ETH por dia, de acordo com a Ethereum Foundation.

Após a fusão, as recompensas de mineração desapareceram e as recompensas de staking teoricamente seriam de cerca de 1.600 ETH por dia, o que representa uma redução de 90% em novas emissões.

supplysincemerge

Em geral, a quantidade de ETH queimada depende da tarifa base ajustada pela aglomeração de blocos de dados em um determinado dia. Quanto maior o número de transações, maior a taxa básica.

Para que o ETH seja verdadeiramente deflacionário na atual taxa de emissão pré-queima, a taxa básica de transação deve ser de pelo menos 15 gwei, de acordo com Daniel Kostecki, analista sênior de mercado da empresa de investimentos Conotoxia. A taxa de transação era de cerca de 10 gwei no momento da publicação.

A taxa de inflação líquida permanece “mais alta do que o ETH deflacionário que muitos anteciparam”, afirmou Outumuro da IntoTheBlock.

O preço do Ether caiu cerca de 5% nos últimos 30 dias e foi negociado ligeiramente acima de US$ 1.300 na terça-feira, à medida que o ambiente macro continua lutando com a alta volatilidade do mercado.

Ironicamente, de acordo com Alexandre Lores, diretor de pesquisa de mercado de blockchain da Quantum Economics, futuras atualizações para a rede podem reduzir as taxas, resultando em “uma oferta maior e mais inflada”.

“No entanto, espero que o crescimento da rede equilibre esse fator a longo prazo”, comentou Lores, acrescentando: “Estou otimista com o Ethereum como a principal rede de aplicativos descentralizada do mundo”.

É claro que a transição do Ethereum para um sistema de prova de participação trouxe aspectos negativos, já que o ether poderia começar a se assemelhar a um título. Uma dessas desvantagens tem a ver com o fato de que os novos “staking yields” das criptomoedas podem atrair mais investigações pela Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC).

A nova resistência à inflação “ainda pode ser ofuscada pelos temores dos investidores da SEC, que poderia finalmente reconhecer as criptomoedas como um título”, disse Kostecki, da Conotoxia. “Isso pode afetar todos os projetos que trabalham com a tecnologia ETH.”

Ainda assim, comentou Kostecki, os apoiadores do Ethereum, liderados por Vitalik Buterin, certamente estão satisfeitos com o que os primeiros dados estão mostrando em termos de oferta da criptomoeda.

“A confiança dos investidores pode estar em alta”, disse Kostecki.

“Se o ethereum se tornar deflacionário, poderemos ver muito dinheiro institucional entrando no ETH nos próximos dois anos”, disse Maximiliano Stochyk Duarte, chefe de marketing da ChainPort e investidor em criptomoedas desde 2014.

“O BTC continuará sendo a melhor criptomoeda para armazenar valor sem a enorme volatilidade que todo o mercado tem, mas acho que tanto o ETH quanto o BTC podem agir juntos se quisermos adoção em massa”, acrescentou.

Com informações de CoinDesk

Isenção de responsabilidade: A ADVFN não faz recomendações de ativos. A matéria tem cunho jornalístico. As opiniões expressas neste artigo são exclusivamente do autor. O conteúdo destina-se a ser usado apenas para fins informativos. É muito importante fazer sua própria análise antes de fazer qualquer investimento.

Deixe um comentário