O BTG Pactual iniciou a cobertura da empresa de empreendimentos imobiliários HBR Realty (BOV:HBRE3) com recomendação de compra e preço-alvo em R$ 35, que oferece um potencial de valorização de 112%.

Segundo o banco, a HBR reúne um grande portfólio de ativos em diferentes segmentos, fortes oportunidades de crescimento com bons retornos, acionistas com experiência no setor e um preço atraente de ação.

“Com a criação da plataforma ComVem, a HBR desenvolveu muitos projetos para centros de conveniência (lojas de rua, geralmente no térreo de edifícios residenciais / comerciais) que não eram comuns no Brasil. Mas uma mudança no Plano Diretor de São Paulo tornou essas obras obrigatórias para novas construções. Com pouca concorrência neste segmento, a HBR planeja entregar 25 projetos em breve e está negociando muito mais para adicionar ao seu portfólio”, diz o relatório.

A HBR também pode reciclar capital, principalmente vendendo participações minoritárias em shoppings e escritórios e alienando totalmente ativos não essenciais, como hotéis, para reinvestir no desenvolvimento de mais projetos ComVem e escritórios AAA.

“Essa estratégia pode fornecer grande criação de valor para os acionistas, já que a HBR deve desenvolver propriedades a um custo médio de rendimento de mais de 14%, mas pode vender ativos a taxas de capitalização de 6% a 7%”, diz o relatório.

Por fim, o BTG fala também de “DNA de desenvolvedor”, isto porque os fundadores são da família Borenstein, assim como a construtora Helbor.

A HBR Realty pretende divulgar os resultados do 1T21 no dia 13 de maio.

Prejuízo líquido de R$ 27,3 milhões em 2020, impactado pela pandemia e por um efeito não caixa no regime de tributação

A HBR Realty registrou prejuízo líquido R$ 27,3 milhões, queda de 110% em relação aos R$ 278,4 milhões de 2019, impactado pelos efeitos da pandemia COVID-19 e pontualmente impactado por um efeito não caixa, decorrente da alteração no regime de tributação de determinadas empresas controladas, passando de lucro presumido para lucro real.

⇒ Confira a agenda completa da divulgação dos resultados do 4T20 e referente ao ano de 2020. Confira a cobertura completa de todos os balanços referente ao ano de 2020 das empresas negociadas na B3.

O Lucro Líquido de 2020 foi impactado pelos efeitos da pandemia COVID-19, que reduziram receitas esperadas e trouxeram alguns aumentos de despesas como gerais e administrativas e resultado financeiro. Porém o exercício de 2020 foi pontualmente impactado por um efeito não caixa, decorrente da alteração no regime de tributação de determinadas empresas controladas, passando de lucro presumido para lucro real.