IPC-M sobe 0,68% em Maio de 2015

LinkedIn

Rio de Janeiro, 28 de Maio de 2015 – O Índice de Preços ao Consumidor – Mercado (IPC-M), calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), registrou variação de 0,68% em maio. No mês anterior, o indicador havia registrado alta 0,75%. O IPC-M avalia o poder de compra do consumidor brasileiro, mensurando os preços de oito grupos de bens e serviços entre o dia 21 do mês anterior e o dia 20 do mês de referência da apuração.

No período compreendido entre 21 de Abril de 2015 e 20 de Maio de 2015, três das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação. A principal contribuição partiu do grupo Habitação (1,42% para 0,75%). Nesta classe de despesa, vale citar o comportamento da tarifa de eletricidade residencial, cuja taxa passou de 6,05% para 1,78%.

Também apresentaram decréscimo em suas taxas de variação os grupos: Alimentação (0,89% para 0,67%) e Comunicação (0,00% para -0,04%). Nestas classes de despesa, os destaques foram: frutas (3,15% para -5,24%) e tarifa de telefone residencial (-0,60% para -0,86%), respectivamente.

Em contrapartida, apresentaram acréscimo em suas taxas de variação os grupos: Saúde e Cuidados Pessoais (1,05% para 1,48%), Vestuário (0,11% para 1,17%), Transportes (0,01% para 0,14%), Educação, Leitura e Recreação (0,26% para 0,44%) e Despesas Diversas (0,50% para 0,87%). Nestas classes de despesa, destacaram-se: medicamentos em geral (1,95% para 3,35%), roupas (0,20% para 1,29%), automóvel novo (0,35% para 0,52%), salas de espetáculo (2,43% para 2,98%) e jogo lotérico (0,00% para 2,76%), respectivamente.

Índice de Preços ao Consumidor (IPC) é um índice referência para avaliação do poder de compra do consumidor brasileiro. Sua pesquisa de preços se desenvolve diariamente, cobrindo as sete principais capitais do país.

Notícias Relacionadas

– IPC-M acelera no início de 2015 e acumula inflação de 7,27% nos últimos 12 meses

– Tarifa de energia e preço da batata-inglesa foram os itens que mais pesaram sobre a aceleração do IPC-M de Janeiro

Deixe um comentário