Enquanto o Fed não vem, Ibovespa sobe 1,3% e juros caem com projeção de IPCA menor

LinkedIn

O Índice Bovespa encerrou o dia em alta, recuperando parte das perdas das últimas duas semanas. O índice fechou em alta de 1,33%, aos 65.534 pontos, perto da máxima do dia, de 65.651 pontos. Vale e bancos foram destaques. Os bancos devem se beneficiar da liberação dos recursos de contas inativas do FGTS, que podem jogar na economia R$ 35 bilhões, o que representaria um impacto de 0,5% do Produto Interno Bruto. Parte desse dinheiro irá para pagar contas em atraso. Outra parte deve ir para o consumo. Projeções menores de inflação também ajudaram a melhorar o ânimo dos investidores brasileiros, com a perspectiva de que o Banco Central (BC) poderá cortar mais fortemente os juros.

As declarações do presidente do Conselho de Administração da Odebrecht, Emílio Odebrecht, em depoimento ao juiz Sérgio Moro no processo da Operação Lava Jato, ajudaram a reduzir a pressão sobre o governo. Emílio afirmou que sempre houve caixa 2 e que todos os partidos recebiam. A volta de Eliseu Padilha para o cargo de ministro da Casa Civil após afastamento médico apesar de todas as acusações contra ele de ser o operador financeiro do PMDB também aumentou a confiança no governo Temer, ao menos no curto prazo. Após se reunirem por mais de duas horas com o ministro-chefe da Casa Civil, os líderes do governo no Congresso Nacional reafirmaram apoio ao ministro para continuar conduzindo as discussões sobre a reforma da Previdência.

A bolsa brasileira acompanhou a recuperação dos mercados internacionais, que aproveitam os dias que faltam para o Federal Reserve (Fed, banco central americano) subir os juros para ajustar os preços depois das quedas da semana passada. O Comitê de Mercado Aberto (Fomc) se reúne amanhã e depois para definir os juros nos EUA, e a expectativa de 95% do mercado é de alta de 0,25 ponto percentual, de 0,75% ao ano para 1,00% na taxa básica americana. Os papéis de 10 anos do Tesouro fecharam com juros de 2,609%, o mais alto nível desde setembro de 2014.

A alta dos juros americanos já está nos preços das ações e moedas do mundo todo diante dos sinais de aquecimento da economia americana, incluindo PIB, emprego, inflação e salários, divulgados nas últimas semanas. A expectativa, porém, é que não só os EUA tenham uma economia mais forte, mas o mundo todo, incluindo Europa, China e Japão, o que anima alguns investidores.

Ibovespa perde 1,69% no mês

Com a alta de hoje, o Índice Bovespa acumula queda de 1,69% no mês e alta de 8,81% ano e de 32,02% em 12 meses.

O volume negociado, porém, foi baixo, R$ 5,698 bilhões, para uma média no ano de R$ 7,9 bilhões.

A alta de hoje foi puxada pelas ações da Vale, com o papel preferencial (PN, sem voto) série A ganhando 4,01% e o ordinário (ON, com voto), 4,59%. Já as ações dos bancos recuperaram as perdas da semana passada, com o Itaú Unibanco PN ganhando 1,81%, Bradesco PN, 1,25% e Banco do Brasil ON, 1,07%.

Petrobras sobe com petróleo estável

Petrobras ON subiu 0,95% e a ação PN, 0,42%. O petróleo no exterior ficou praticamente estável, com o barril do tipo WTI para abril negociado em Nova York a 48,40, em baixa de 0,2% ou de 9% desde a semana passada. Os preços do petróleo caem com os sinais de aumento da produção dos Estados Unidos compensando a redução organizada pelos países da Opep.

Cemig lidera altas do Ibovespa

As maiores altas do Ibovespa foram de Cemig PN, 4,84%, Vale ON e PNA, Gerdau PN, 3,86%, Bradespar PN, 3,66%, Energias do Brasil ON3,56% e Pão de Açúcar PN, 3,31%. O Pão de Açúcar anunciou hoje que adiou por mais 15 dias a venda da Via Varejo, empresa especializada na venda de eletrodomésticos e eletroeletrônicos.

As maiores quedas do índice foram de Estácio Participações ON, 2,91%, Weg ON, 2,88%, Equatorial ON, 2,15%, Ecorodovias ON, 1,61%, Marfrig ON 1,48% e BR Foods ON, 0,90%.

Dow Jones cai nos EUA

Nos Estados Unidos, o Índice Dow Jones caiu 0,1%, enquanto o Standard & Poor’s 500 subiu 0,1%. O Nasdaq avançou 0,2%. Empresas de saúde sofreram hoje nos EUA com o avanço do plano do presidente Donald Trump de reformar o programa de saúde pública universal do ex-presidente Barack Obama. O novo plano, apoiado pelos republicanos deixaria milhões de americanos sem planos de saúde, o que vez os papéis das empresas do setor caírem.

Na Europa, o Índice Euro Stoxx 50 fechou em baixa modesta, de 0,02%. Hoje, o Parlamento Britânico deu sinal verde para o governo da primeira-ministra Theresa May levar adiante a saída do país da União Europeia. O Financial Times, de Londres, subiu 0,33%. Já as eleições na Holanda nesta semana seguem chamando a atenção por poderem mostrar a força dos partidos de extrema direita na região.  Os índices DAX, de Frankfurt, e CAC, de Paris, subiram, 0,22% e 0,13% respectivamente.

Dólar sobe no Brasil e juros caem

No mercado brasileiro, o dólar fechou com ligeira alta, de 0,25% no mercado comercial, vendido a R$ 3,153. Já o dólar turismo caiu 0,30%, para R$ 3,30.

No mercado de juros futuros da BM&FBovespa, os contratos para janeiro de 2018 fecharam projetando 10,025% ao ano, ante 10,07% ao ano na sexta-feira.

Para janeiro de 2019, a taxa projetada ficou em 9,53%, ante 9,56% ontem.  E, para 2021, a taxa foi de 9,93%, ante 9,97% ontem.

Deixe um comentário