Exchanges chinesas tentam uma segunda chance em países mais amigáveis

LinkedIn

Após a repressão do governo chinês no mês passado, as exchanges de Bitcoin (COIN:BTCUSD) na China estão buscando continuar seus negócios em países mais amigáveis com as criptomoedas. Nove empresas chinesas estão solicitando uma licença para operar no Japão, enquanto outras estão considerando Singapura, Hong Kong e Coréia do Sul.

Exchanges Chinesas migrando para o exterior

De acordo com a Bloomberg, eles estão se candidatando para licenças no Japão – sozinhos ou através de parceiros – criando lojas para o mercado de balcão em Hong Kong, ou criando uma base para operar em Cingapura e Coreia do Sul.

Lennix Lai, diretor de mercado financeiro da Okex, com sede em Hong Kong, acredita que há demanda suficiente. “Como uma das maiores operadoras da China, pensamos que temos boas chances de competir globalmente”, afirmou.

Licenças e Parcerias no Japão

O Japão legalizou o bitcoin como método de pagamento em abril. Como conseqüência dessa legalização, as exchanges de criptomoedas precisam registrar-se na Agência de Serviços Financeiros do país (FSA).

A agência concedeu licenças para onze exchanges de bitcoin no Japão pela primeira vez no mês passado. Excluindo as empresas chinesas que querem operar no Japão, a Bloomberg observou: existem pelo menos 19 empresas que se candidatam a uma licença japonesa.

Enquanto algumas exchanges chinesas estão se candidatando a uma licença japonesa, outros estão à procura de parceiros locais. Por exemplo, a exchange baseada em Hong Kong, Binance, está à procura de parceiros locais e também considerando a aquisição de uma exchange já operacional, revelou o CEO Zhao Changpeng. Uma outra empresa baseada em Pequim, Bixin, também manifestou interesse.

Fonte: Portal do Bitcoin. 

Deixe um comentário