Resumo da semana: Veja o que movimentou a política nesta semana

LinkedIn

Saiba o que aconteceu na política nacional no decorrer desta semana.

Fake News nas eleições

Para o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luiz Fux, as “fake news” poderão cancelar as eleições de outubro caso tiverem fortes danos nos resultados.

Em um evento organizado pela Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abratel), Fux destacou que “as fake news poluem o espaço democrático”, sendo um dos motivos que podem gerar a possiblidade da anulação do pleito”, além de destacar que o TSE atuará fortemente para punir quem compartilhar notícias inverídicas.

Temer impopular

O Palácio do Planalto lançou na última terça-feira (19) uma publicidade apontando que a impopularidade do presidente Michel Temer é atribuída a crise econômica deixada pelos governos passados – sem citar PT e a ex-presidente Dilma Rousseff.

O conteúdo, que é narrador por atores, lembra que o Brasil passava por “caos”,  além de compará-lo a um país “em guerra”.

Uma pesquisa divulgada pelo Datafolha no dia 10 deste mês, revelou que o peemedebista é rejeitado por 82% dos brasileiros. No entanto, o mesmo reconhece que “todo mundo está irritado”, e que “no final da contas sobra para todo mundo”, destaca a publicidade.

Processo contra Dilma e mais 11

Na última quinta-feira (21), a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) entrou com um processo sancionador contra a ex-presidente Dilma Rousseff e mais 11 pessoas para investigar possíveis irregularidades na Petrobras, como perdas geradas pela compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

O processo revela que a petroleira pagou US$ 1,2 bilhão por Pasadena, em um acordo que envolveu, inicialmente, 50% do ativo, por US$ 360 milhões, em 2005. De acordo com o G1, na época do ocorrido, Dilma era ministra da Casa Civil do governo Lula e presidente do conselho e administração da Petrobras.

Caso sítio de Atibaia

11 de setembro foi a data que o juiz Sérgio Moro agendou para o interrogatório do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no processo que apura o pagamento de propina por meio do sítio Santa Bárbara, em Atibaia, em São Paulo.

O petista será ouvido presencialmente às 14h.

Gleisi Hoffmann e marido são absolvidos

A senadora e presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e o marido dela, Paulo Bernardo foram absolvidos na última terça-feira (19) pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O casal é acusado de corrupção e lavagem de dinheiro em uma fase da Operação Lava Jato.

A denúncia apresentada pela Procuradoria Geral da República revela que Gleisi e Bernardo exigiram e receberam R$ 1 milhão desviado da Petrobras para a campanha dela ao Senado, em 2010. No entanto, na visão dos ministros da Segunda Turma do STF, não houve provas de que a senadora recebeu propina em troca da manutenção de Paulo Roberto Costa como diretor de Abastecimento da Petrobras à época.

Venezuela

“Medida inapropriada”, disse o presidente Michel Temer na última quinta-feira (21) ao se referir sobre fechamento da fronteira com a Venezuela que repercutiu nos últimos meses devido ao fluxo de migrantes do país para o estado de Roraima.

O governo visitou o estado para observar as condições do local e disse que não deixará de lado as necessidades de Roraima. Atualmente, a Venezuela vive uma intensa crise política-economica onde milhares de habitantes estão deixando o país à procura de melhores condições.

Deixe um comentário