Indicadores econômicos: Vendas no varejo é o destaque positivo desta quinta-feira

LinkedIn

O destaque ficou com as variações das vendas no varejo do Brasil. Acompanhe os resumos das agendas econômicas globais para quinta-feira (14/03):

BRASIL

No Brasil, depois da queda de 2,1% em dezembro, o volume de vendas do comércio varejista cresceu 0,4% em janeiro, na comparação com o mês anterior. É o que mostrou a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada hoje pelo IBGE. Na comparação com janeiro de 2018, o setor cresceu 1,9%, impulsionado, principalmente pelo grupo de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, responsável por 1,1 ponto percentual na composição do indicador.

Já o índice móvel trimestral do comércio varejista fechou janeiro com alta de 0,5%, resultado superior à estabilidade do período encerrado em dezembro. O acumulado nos últimos 12 meses também mostrou resultados positivos, com crescimento de 2,2% na comparação com o período anterior.

No Brasil, o número de suínos abatidos no país chegou a 44,2 milhões no ano passado, uma alta de 2,4% em relação a 2017, e o maior resultado da série iniciada em 1997. Os aumentos mais expressivos ocorreram no Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul e São Paulo, e quase dois terços dos abates de suínos ficaram concentrados nos estados do Sul em 2018.

Essa atividade tem apresentado crescimentos ininterruptos, mesmo com alguns impactos na exportação: “mesmo com embargo desse principal comprador, que recebeu cerca de 40% de nossas exportações em 2017, mantivemos a escala de abate que gerou um recorde”.

ESTADOS UNIDOS

Nos Estados Unidos, os preços das importações avançaram 0,6% em fevereiro, informou hoje o Departamento de Estatísticas do Trabalho. O número vem depois da alta de 0,1% em janeiro e queda de 1,4% em dezembro. O aumento de fevereiro foi liderado pelos preços mais altos dos combustíveis. Os preços de exportação dos Estados Unidos subiram 0,6% em fevereiro, depois das quedas de 0,5% e 0,7% nos últimos dois meses. O número dos preços de importação é o maior aumento mensal desde o avanço de 0,9% em maio. Apesar do aumento de fevereiro, os preços caíram 1,3% de fevereiro de 2018 a fevereiro de 2019. O custo das mercadorias importadas da China permaneceu inalterado em fevereiro, após cair 0,3% no mês anterior.

Nos Estados Unidos, para a semana que terminou em 09 de março, os pedidos iniciais de auxílio desemprego, ajustados, ficaram em 229 mil, alta em 6 mil do nível não revisado da semana anterior, 223 mil. A média móvel de quatro semanas está em 223.750, queda de 2.500 da média não revisada da semana anterior de 226.250.

A taxa de desemprego antecipada ajustada sazonalmente ficou em 1,2% para a semana que terminou em 02 de março, inalterada ante a taxa não revisada da semana anterior. Os dados são do Departamento do Trabalho dos Estados Unidos.

Nos Estados Unidos, o Census e o Departamento de Habitação e Desenvolvimento Urbano anunciaram as seguintes novas estatísticas de vendas residenciais para janeiro de 2019:

As vendas de novas residências familiares em janeiro de 2019 tiveram uma taxa anual ajustada sazonalmente de 607 mil, segundo estimativas. Isso é 6,9% (± 16,3%) abaixo da taxa revisada de dezembro de 652 mil e é 4,1% (± 14,0%) abaixo da estimativa de janeiro de 2018 de 633.000. O preço médio de venda das novas casas vendidas em janeiro de 2019 foi de US $ 317.200.

Preços de venda

O preço médio de venda das novas casas em janeiro de 2019 foi de US $ 317.200. O preço médio de venda foi de US $ 373.100.

Para estoque de venda e suprimento de meses, a estimativa sazonalmente ajustada das novas casas no final de janeiro era de 336 mil. Isso representa um oferta de 6,6 meses à taxa de venda atual.

ÁSIA

 Na China, o Departamento Nacional de Estatísticas informou que a produção industrial desacelerou mais do que o esperado em janeiro e fevereiro, sugerindo que a economia está desacelerando. A produção de valor agregado na China aumentou 5,3% no período de janeiro a fevereiro em relação ao ano anterior, ante 5,7% há um ano e projeções de economistas de 5,5%. A leitura de quinta-feira foi o ritmo mais lento de crescimento em 17 anos. As vendas no varejo, por sua vez, tiveram expansão anual de 8,2% no primeiro bimestre, mantendo-se estável em relação ao crescimento anual de dezembro, vindo em linha com a expectativa dos economistas. Os dados são do Governo da China.

EUROPA

Na Alemanha, os preços ao consumidor subiram 1,5% em fevereiro de 2019, a partir de fevereiro de 2018. A taxa de inflação – medida pelo índice de preços ao consumidor – foi ligeiramente mais alta ano a ano do que em janeiro de 2019 (+ 1,4%). Em comparação com janeiro de 2019, o índice de preços no consumidor aumentou 0,4% em fevereiro de 2019. O Escritório Federal Estatística (Destatis) corrigiu os resultados provisórios globais de 28 de abril de 2019 ligeiramente para baixo.

Os preços da energia foram 2,9% maiores em fevereiro de 2019 do que um ano antes e tiveram um ligeiro efeito ascendente na taxa de inflação global. Uma análise mais detalhada dos produtos energéticos individuais revela que os preços de eletricidade, gás e outros combustíveis aumentaram 4,3% em fevereiro de 2019, a partir de fevereiro de 2018. O aumento de preço mais alto foi registrado para o óleo de aquecimento (+ 14,2%). Os preços dos combustíveis para motores aumentaram apenas 0,1% no mesmo período. Excluindo os preços da energia, a taxa de inflação teria sido de + 1,4% em fevereiro de 2019.

Na França, em fevereiro de 2019, o Índice de Preços ao Consumidor (CPI) ficou estável ao longo de um mês, depois de queda de 0,4% em dezembro. A recuperação nos preços de energia (alta em 1,3% depois da queda de 1,2%) foi compensada por uma queda nos preços de alimentos in natura (-1,3% após 2,4%) e menor queda nos preços de produtos manufaturados (-0,4% após -2,1%). Por fim, os preços dos serviços estão estáveis em fevereiro. Com ajuste sazonal, os preços ao consumidor ficaram estáveis em um mês, após 0,2% em janeiro. Ano contra ano, os preços ao consumidor aumentaram 1,3% em fevereiro de 2019, após 1,2% em janeiro. Os dados são do Instituto Nacional de Estatísticas e Estudos Econômicos.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.