Iguatemi (IGTA3) marca presença com seus empreendimentos luxuosos, vale marcar também na sua carteira?

LinkedIn

A empresa foi pioneira do segmento a entrar na bolsa de valores brasileira. Isso aconteceu lá em fevereiro de 2007, quando houve o boom de IPOs, e a Iguatemi (BOV:IGTA3) inspirou até mesmo suas concorrentes a fazerem o mesmo. Apenas dois meses depois, a BR Malls (BRML3) estava captando recursos com sua IPO e em julho a General Shopping (GSHP3) também resolveu participar da festa.

Saiba se a BR Malls (BRML3) também é uma boa opção de investimento.

Com sua Oferta Pública Inicial de Ações, a Iguatemi obteve cerca de R$ 550 milhões, podendo dar margem para desenvolver ainda mais seu trabalho de full-service em shopping centers. Esse trabalho envolve planejamento, desenvolvimento e administração desses estabelecimentos, mas não de qualquer um. A Iguatemi é conhecida por seus empreendimentos luxuosos e sofisticados, voltados para os públicos das classes A e B.

A localização também é privilegiada, pois se encontram nas grandes cidades brasileiras, cujas áreas comerciais são as mais desenvolvidas. Isso se refere a regiões do Sudeste, Sul e Centro-Oeste do país, com presença mais expressiva em São Paulo, que é responsável por mais de 30% do PIB total do Brasil.

Atualmente, a empresa detém participação em 14 shoppings, 2 outlets e outras 3 torres comerciais. Ao todo, são 711 mil metros quadrados de área bruta locável, sendo 470 mil próprias.

E não é também qualquer área locável. Grandes shoppings que levam a marca Iguatemi (como o Iguatemi São Paulo, Campinas e Porto Alegre) possuem as áreas locáveis mais caras do Brasil. Já quem aluga uma sala no Iguatemi São Paulo, especificamente, paga o segundo maior aluguel da América Latina!

E-commerce de luxo

O que também é de alto nível, em se tratando do Iguatemi, está não apenas no plano físico dos empreendimentos, mas também no virtual. As grifes mais desejadas ganharam uma nova passarela em 2019, o meio digital.

De acordo com a empresa, em seu site institucional: “Recentemente lançamos o Iguatemi 365, nossa plataforma de marketplace, reunindo atualmente mais de 350 marcas e 15 mil itens em um só lugar. Trata-se de um e-commerce premium, com a curadoria da marca Iguatemi. Este meio digital fortalecerá o físico (off-line), aproveitando a estrutura da loja, integrando estoque e respeitando a precificação”.

Precificação de alto padrão também na bolsa?

A atuação da Iguatemi é top de linha, mas e as ações da companhia, também estão em outro nível comparado com as de suas concorrentes? Como falamos, a empresa briga (com luvas de seda, é claro) pelos investidores com BR Malls (BRML3) e General Shopping (GSHP3), mas há muitas outras no segmento, como é o caso de Aliansce Sonae Shopping Centers (ALSO3), BR Properties (BRPR3) e Cyrela (CCPR3).

Criamos um gráfico exclusivo para ver quem anda na frente nessa briga, e dentro de um período bem longo, para a informação ser ainda mais sólida: de 2011 a 2020.

Capturar

Obs.: a última cotação data de 27 de novembro de 2020.

Essa análise gráfica com certeza pode te ajudar a ter uma visão ainda mais ampla da Iguatemi, mas existem outros modelos que podem te convencer de vez ou te dar a certeza de que não é interessante entrar com Iguatemi na carteira.

E neste momento em que você está lendo esta matéria, pode também acompanhar a performance das ações da empresa e ter outras informações em tempo real sobre ela. Uma das facilidades tecnológicas que só ajudam a vida.

Vale dizer que 2020 tem sido um ano muito peculiar para todas as empresas que dependem de fluxo de circulação de pessoas nos estabelecimentos – como é o caso das lojas de shopping centers, independente da classe social que atendam. Isso porque a pandemia pressionou o governo a exigir o fechamento de lojas e o distanciamento social.

Apesar disso, o mercado acredita em uma retomada dos patamares pré-pandemia no segmento de shoppings, onde se encontra, é claro, a Iguatemi. Em novembro de 2020, por exemplo, o Credit Suisse já estimou um rating outperform (desempenho acima da média) para as ações da companhia, uma das únicas entre as concorrentes a receber esse crédito.

Essa quase exclusividade também é presente na avaliação da Fitch, a agência de classificação de risco de crédito, que deu um rating três-estrelas para a companhia: AAA(bra), tornando-a uma das mais bem ranqueadas entre as companhias que compõem a indústria de shoppings.

E é bom lembrar que, ao mesmo tempo em que os efeitos da pandemia estavam alastrados, inclusive impactando nas receitas da empresa, ela não deixou de crescer. A Iguatemi adquiriu 20% de participação no Praia de Belas Shopping Center (de Porto Alegre) e de 15% no Shopping Center Esplanada (São Paulo), além de continuar dando margem para seu projeto de inauguração da Torre Galleria em dezembro de 2021, que até setembro de 2020 já estava mais de 15% concluída. A participação da Iguatemi no empreendimento é de 52%.

Segundo a empresa: “Acreditamos que o desenvolvimento de novos shopping centers nos permitirá criar instalações modernas que sejam consistentes com nossa marca e sejam projetadas especificamente para atender às necessidades de nosso público-alvo. Para tanto, continuaremos a selecionar de forma criteriosa a localização de nossos novos empreendimentos; aplicando a eles arquitetura diferenciada; e proporcionando mix de lojas de alta qualidade, com lojistas de renome nacional e internacional”.

Uma rica poupadora

A companhia pode deter muitos espaços luxuosos, mas isso não quer dizer que seja uma esbanjadora de dinheiro. Muito pelo contrário, ela realiza diversas ações sustentáveis que acabam revertendo também em menos custos para ela. Entre essas iniciativas pode-se citar a de redução no consumo de energia elétrica. É fato que shopping centers são grandes dependentes desse recurso, mas a companhia tem investido em equipamentos mais tecnológicos (lâmpadas e outros) e na automatização de sistemas (ar-condicionado e outros) para diminuir o consumo.

Para economizar água, ela tem atuado com poços artesianos e instalado equipamentos economizadores, como arejadores, válvulas etc. Além disso, a companhia tem programas de reciclagem e compostagem.

Ainda não tem certeza se investir na Iguatemi é uma boa? Então confira uma análise ainda mais profunda da empresa. E gostou deste artigo? Curta, comente, compartilhe e não deixe de saber sempre mais sobre as empresas em que investe – ou que gostaria de investir. Quer uma dica? Com o scanner ADVFN você tem um raio-x ainda mais completo das empresas, com sugestões de compra de acordo com seu perfil de investimentos. Será que Iguatemi combina com a sua carteira? Clica para saber e bons investimentos!

Deixe um comentário