Índice

Criar Discussão

Atualizar

Usuários Filtrados

Usuários Banidos

Meus Alertas

Meu Perfil

Busca

Regras

Analise Fundamentalista +++++ (KLBN4)

Serruya
  • Dono
  • 592
  • 18/06/2007


CONTEXTO OPERACIONAL

A Klabin é auditada pela DELOITTE TOUCHE TOHMATSU, uma das maiores empresas de auditoria do mundo. Em seus pareceres, a Deloitte não faz nenhuma ressalva, técnica ou por limitação, da Klabin, o que é um forte e independente indicio de gestão competente e integra.

A Klabin é a maior produtora e exportadora de papéis do Brasil e líder nos mercados de papéis e cartões para embalagem, embalagens de papelão ondulado e sacos industriais. É também a maior recicladora de papéis da América do Sul, além de produzir e comercializar madeira em toras – utilizada na indústria moveleira e na construção civil.

Estruturada em quatro unidades de negócios – Florestal, Papéis, Embalagens de Papelão Ondulado e Sacos Industriais, atingiu em 2006 uma receita bruta de R$ 3,2 bilhões.

Possui 17 unidades industriais no Brasil e uma na Argentina, totalizando uma capacidade anual de produção de 1,6 milhão de toneladas de papéis. O projeto de expansão iniciado em janeiro de 2006 e com start up previsto para o final de 2007, ampliará a capacidade de papelcartão das atuais 390 mil para 740 mil toneladas/ano, elevando a capacidade total da Klabin para 2,0 milhões de toneladas/ano de papéis.

São 198 mil hectares de florestas plantadas de pínus e eucalipto manejados de acordo com o conceito de desenvolvimento sustentável. As áreas plantadas mesclam-se com 148 mil hectares de matas nativas preservadas que possibilitam o desenvolvimento de programas de educação ambiental para colaboradores e comunidades. Esse modelo de operação tornou a Klabin a primeira empresa do setor de papel e celulose das Américas a ter suas florestas certificadas pelo Forest Stewardship Council (FSC), em 1998. Atualmente, quase 100% das florestas Klabin têm o selo FSC, além da cadeia de custódia de todas as fábricas de kraftliner, papelcartão, e sacos industriais.


EXPANSÃO

Projeto de expansão da produção da Unidade Monte Alegre (MA-1100)
Está em execução na Unidade Klabin Monte Alegre, em Telêmaco Borba, no Paraná, o Projeto Klabin MA-1100, que elevará a capacidade de produção de papéis e cartões da fábrica de 700 mil toneladas/ano para 1,1 milhão de toneladas/ano. A empresa investirá na expansão cerca de R$ 2,2 bilhões. O projeto colocará a Unidade Monte Alegre, atualmente a maior fábrica de papéis do Brasil, entre as dez maiores fábricas de papel do mundo, e a Klabin como sexta maior fabricante global de cartões de fibras virgens.

O Projeto de expansão MA-1100, além de aumentar a capacidade produtiva da companhia, coloca a empresa em uma excelente posição no mercado global, com custos de produção e de distribuição altamente competitivos, sem esquecer seu compromisso histórico com o desenvolvimento sustentável.

O projeto de expansão na Unidade Monte Alegre (PR), denominado Projeto Klabin MA-1100, é o marco do novo ciclo de investimentos da companhia.

O principal objetivo do Projeto de expansão é duplicar a capacidade de cartões revestidos da Unidade Monte Alegre (PR), com a instalação de uma nova máquina com capacidade de produção de 350 mil toneladas/ano, elevando a capacidade instalada de cartões revestidos de 330 mil para 680 mil toneladas/ano. Esta máquina deverá entrar em operação no quarto trimestre de 2007. Deste modo, a capacidade de produção total da Klabin aumentará das atuais 1,6 milhão para 2,0 milhões de toneladas anuais.

O Projeto Klabin MA-1100, além dos novos equipamentos e da implantação de novas áreas, contempla atualizações tecnológicas em diversas áreas da Unidade do Paraná, o que representa elevado grau de complexidade devido ao novo layout e novas rotas logísticas internas, que visam à otimização da planta como um todo e garantem a segurança e a continuidade operacional da fábrica.

A Unidade Klabin Monte Alegre (PR) foi escolhida para sediar esta expansão porque domina a tecnologia de produção de cartões revestidos, utilizando um mix de fibras longas e curtas (pínus e eucalipto) e possui estrutura técnica e logística apropriada.

Motivação estratégica do Projeto Klabin MA-1100:
Oportunidade de crescimento sustentado da Klabin no mercado de cartões revestidos de fibras virgens, com maior rentabilidade e preços estáveis;
O mercado global deste tipo de cartão é de 14,0 milhões de tonelada/ano e cresce à taxa de 2,5% ao ano, equivalente a uma nova máquina de "classe mundial" por ano;
Utilizar a experiência adquirida no mercado de cartões revestidos para líquidos, para crescer nos mercados de cartões Carrier Board e Folding Box Board;
Com o início da operação deste projeto, a Klabin deverá ocupar a 6ª posição entre os maiores fabricantes mundiais de cartões revestidos à base de fibras virgens, consolidando sua posição de "global player".


NOTÍCIA

(1)
Indústria anuncia novo reajuste da celulose

SÃO PAULO, 17 de julho de 2007 - O preço da celulose, insumo utilizado na produção de papel, terá um novo reajuste de US$ 20 a tonelada a partir do dia 1º de agosto, revelou hoje o diretor de Finanças e Relações com Investidores da Votorantim Celulose e Papel (VCP), Valdir Roque. O aumento, anunciado pela Aracruz, maior fabricante de celulose branqueada de eucalipto do mundo, deverá ser seguido pela VCP, destacou Roque, e possivelmente pelas demais fabricantes do Brasil e do exterior. "A indústria brasileira detém, hoje, cerca de 65% do mercado de celulose de eucalipto do mundo é já é o grande direcionador de preço do segmento", destaca o executivo.

O novo aumento será repassado para os mercados europeu, norte-americano e asiático. Nos Estados Unidos, por exemplo, a cotação da tonelada de celulose saltará de US$ 735 para US$ 755. Essa variação de quase 3% também será registrada no mercado doméstico, destaca Roque. "Esse aumento demora, em média, de sete a dez dias para ser implantado no Brasil", disse.
Apesar de ser o segundo reajuste do insumo em três meses - o anterior, também de US$ 20, passou a vigorar em 1º de junho - Roque acredita que, se mantido o ritmo de demanda principalmente no exterior, é possível que um novo reajuste seja anunciado ainda no segundo semestre deste ano. "Os estoques mundiais estão baixos e a demanda, muito aquecida. Prova disso é que pela primeira vez desde que estou na VCP será praticado um aumento no preço da celulose no hemisfério norte em pleno período de alta estação do verão" destaca o executivo, há 13 anos na companhia.

Conforme destacado na semana passada, quando previsto que o setor registraria um novo reajuste no segundo semestre, o movimento de elevação nos preços é consequência de uma série de fatores climáticos e operacionais que beneficiaram a indústria nacional. Entre eles estão o inverno menos rigoroso no hemisfério Norte, o que dificultou o corte de madeira na Europa, e a decisão do governo russo de aumentar os impostos para a exportação de madeira, resultando na redução da oferta a países escandinavos, China e Japão.
(André Magnabosco - InvestNews)

(2)
Klabin inaugura novo ponto industrial para a produção de embalagens de papelão ondulado em Mossoró (RN

Klabin inaugura novo ponto industrial para a produção de embalagens de papelão ondulado em Mossoró (RN).O local irá atender principalmente os clientes de hortifrutis da região.

A Klabin, líder na produção de embalagens de papelão ondulado no Brasil, irá inaugurar no próximo dia 12 de julho um novo ponto industrial de produção de embalagens de papelão ondulado em Mossoró, no Rio Grande do Norte.

A região é estratégica para a empresa e permitirá a entrega de embalagens diariamente aos produtores de frutas. A proximidade física com os clientes irá proporcionar um atendimento ainda mais personalizado e diferenciado, além de melhorar a gestão e transferências de estoques.

O ponto terá a capacidade de produção de 1000ton/mês de embalagens de papelão ondulado. As chapas para a fabricação das caixas serão fornecidas pela Unidade Klabin de Goiana (PE). A produção atenderá o mercado do Rio Grande do Norte, principalmente o segmento de frutas como banana, abacaxi, melancia, melão e mamão.

“A região de Mossoró apresenta um grande potencial de desenvolvimento, principalmente no segmento de hortifrutis, com clientes importantes da Klabin e grande potencial para novos negócios”, destaca o gerente regional da região nordeste da área de Embalagens da Klabin, Luiz Carlos Cardoso. “A Klabin é tradicional fornecedora de embalagens para os exportadores brasileiros de frutas, sobretudo do Vale do São Francisco. O conhecimento adquirido no setor nos permite apresentar soluções diferenciadas para nossos clientes, ajudando-os a conquistarem novos mercados”, ressalta.

Do total da produção, 80% das embalagens serão para atender pedidos prévios dos clientes, com embalagens personalizadas. Os demais 20% visa atender os pequenos e médios produtores, com embalagens genéricas.

As embalagens da Klabin atendem a todos os pré-requisitos sanitários. Um exemplo é a isenção de contaminantes em contato direto com o alimento, já que os produtos utilizam fibras virgens e respeitam as normas do FDA (Food & Drug Administration) atendendo às mais rigorosas exigências para exportação. A companhia faz o rastreamento de todo o processo de fabricação, desde o solo onde foi plantada a árvore que gerou a celulose até a produção da embalagem, garantindo que nenhum agente nocivo entre em contato com o produto durante o processo produtivo.


LIDERANÇA RESPONSÁVEL

A Klabin é líder brasileira no setor de papelão ondulado, com nove unidades de conversão de embalagens no País e dois centros de distribuição que garantem agilidade no atendimento aos clientes.

É a maior recicladora de papéis para embalagens da América do Sul com quatro unidades de produção.

As embalagens desenvolvidas pela Klabin atendem a todos os segmentos da economia e permitem total proteção aos produtos transportados. O papel utilizado na conversão das embalagens é produzido pela própria companhia, o que garante continuidade de fornecimento, qualidade e controle de todo o processo produtivo.

As embalagens são fabricadas obedecendo às mais rigorosas exigências dos mercados internacionais. Além disso, são ecologicamente corretas, pois são 100% recicláveis e provenientes de florestas plantadas, ou seja, fontes renováveis de matéria-prima

RECOMENDAÇÕES

Instituição Preço-Alvo
Ágora Corretora 7,65
Banco Espirito Santo 8,00
Banif Investment Banking 7,90
BB Banco de Investimento 7,99
Bradesco Corretora 7,50
Fator Corretora 8,00
Merrill Lynch 7,20





  • 17 Jul 2007, 14:17
  • Tweet
Ativos Discutidos
BOV:KLBN4 4.84 1.5%
Klabin Sa
Klabin Sa
Klabin Sa
Índices Mundiais
Alemanha 0.4%
Austrália 0.4%
Brasil 1.3%
Canadá 0.7%
EUA (Dow Jones) 0.8%
EUA (NASDAQ) 0.7%
França 0.6%
Grécia 2.4%
Holanda 0.9%
Inglaterra 0.9%
Itália 0.8%
Portugal 1.4%
Maiores Altas (%)
BOV:SLED3 1.07 33.8%
BOV:RELG12 0.05 25.0%
BOV:TASA17 12.50 24.1%
BOV:TASA15 12.59 21.6%
BOV:TASA13 13.45 20.1%
BOV:DASA3 70.05 19.7%
BOV:TASA4 19.18 19.0%
BOV:IGBR3 6.40 19.0%
BOV:BRKM6 21.95 16.4%
BOV:TASA3 17.68 12.6%
Seu Histórico Recente
BOV
KLBN4
KLABIN PN
Registre-se agora para acompanhar essas ações ao vivo no Monitor ADVFN.

O Monitor permite ver até 110 de suas ações favoritas de uma vez só e é completamente grátis para você usar.

Ao acessar os serviços da ADVFN você estará de acordo com os Termos e Condições

P: V: D:20201206 01:28:45