PIB Brasil 2015

A economia brasileira encolheu 3,8% em 2015 na comparação com 2014, segundo os dados do PIB (Produto Interno Bruto) divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). 

Essa é a maior queda desde que a atual pesquisa do IBGE começou a ser feita, em 1996. Se forem considerados os dados anteriores do PIB, que começam em 1948, é o pior resultado em 25 anos, desde 1990 (-4,3%), quando Fernando Collor de Mello assumiu o governo e decretou o confisco da poupança.

Esta é a sétima vez que o Brasil tem PIB negativo desde 1948: 1981 (-4,3%), 1983 (-2,9%), 1988 (-0,1%), 1990 (-4,3%), 1992 (-0,5%), 2009 (-0,1%) e, agora, 2015 (-3,8%).

Em valores correntes, o PIB de 2015 ficou em R$ 5,9 trilhões. O PIB per capita ficou em R$ 28.876 em 2015, com queda de 4,6% em relação ao ano anterior.

Entre os setores da economia analisados para o cálculo do PIB, apenas a agropecuária cresceu em 2015. A alta foi de 1,8% em relação ao ano anterior, sob influência da soja e do milho. Ainda assim, o resultado da agropecuária é o menor desde 2012, quando caiu 3,1%.

Já a indústria amargou uma queda de 6,2%, puxada pela retração de quase 8% do setor de construção, puxada tanto com a parte de infraestrutura como a parte imobiliária. Além da construção, a indústria de transformação recuou 9,7%, influenciada pela redução, em volume, dos segmentos de veículos, de máquinas e equipamentos e de aparelhos eletroeletrônicos.

O recuo poderia ser maior se a indústria extrativa mineral não tivesse colaborado positivamente. O aumento da extração de petróleo, gás natural e minérios ferrosos ajudou a suavizar o tombo.

O setor de serviços, que sempre respondeu por boa parte do PIB, recuou 2,7%, a maior baixa desde 1996, porque o comércio, forte em outros anos, mostrou uma diminuição de 8,9%.

A queda do PIB também sofreu influência do resultado negativo dos investimentos. A retração na formação bruta de capital fixo (que são os investimentos em produção), de 14,1%, foi atribuída principalmente à queda da produção interna e da importação de bens de capital.

No ano anterior, o recuo havia sido bem menor, de 4,5%. Com isso, a taxa de investimento caiu de 20,2% em 2014 para 18,2% do PIB, no ano seguinte.

O consumo das famílias, que durante muitos anos puxou o crescimento da economia brasileira, recuou 4% em relação ao ano anterior, revertendo o aumento de 1,3% em 2014.

O Produto Interno Bruto no ano de 2015 totalizou R$ 5.904,3 bilhões, sendo R$ 5.055,4 bilhões referentes ao Valor Adicionado a preços básicos e R$ 849,0 bilhões aos Impostos sobre Produtos líquidos de Subsídios.

Considerando o Valor Adicionado das atividades no ano, a Agropecuária registrou R$ 263,6 bilhões, a Indústria R$ 1.149,4 bilhões e os Serviços R$ 3.642,3 bilhões. Entre os componentes da despesa, a Despesa de Consumo das Famílias totalizou R$ 3.741,9 bilhões, a Despesa de Consumo do Governo R$ 1.192,4 bilhões e a Formação Bruta de Capital Fixo R$ 1.072,5 bilhões. A Balança de Bens e Serviços ficou deficitária em R$ 75,7 bilhões e a Variação de Estoque foi negativa em R$ 26,7 bilhões.

A taxa de investimento no ano de 2015 foi de 18,2% do PIB, abaixo do observado no ano anterior (20,2%). A taxa de poupança foi de 14,4% em 2015 (ante 16,2% no ano anterior).

 

PIB Brasil – 4° Trimestre de 2015

Em relação ao terceiro trimestre, o PIB do quarto trimestre de 2015 caiu 1,4%, levando-se em consideração a série com ajuste sazonal. É a quarta queda consecutiva nesta base de comparação. A Indústria (-1,4%) e os Serviços (-1,4%) tiveram retração, enquanto a Agropecuária registrou expansão (2,9%). 

Na comparação com o quarto trimestre de 2014, o PIB caiu 5,9%, a maior queda desde o início da série histórica iniciada em 1996, sendo que o valor adicionado a preços básicos caiu 5,0%, e os impostos sobre produtos recuaram 11,0%. A Agropecuária cresceu 0,6%, enquanto a Indústria (-8,0%) e os Serviços (-4,4%) apresentaram queda.

PIB VALOR CORRENTE (R$) VARIAÇÃO TRIMESTRAL
VARIAÇÃO ANUAL
VARIACÃO ACUMULADA
Brasil    1,532 Trilhão -1,4%  -5,9% -3,8%
Agropecuária   49,245 Bilhões +2,9%  +0,6% +1,8%
Indústria 295,173 Bilhões -1,4%  -8,0% -6,2%
Serviços 969,220 Bilhões -1,4%  -4,4% -2,7%
Famílias 976,767 Bilhões -1,3%  -6,8% -4,0%
Governo 342,765 Bilhões -2,9%  -2,9% -1,0%
Investimento 256,808 Bilhões -4,9% -18,5% -14,1%

 

PIB Brasil – 3° Trimestre de 2015

O Produto Interno Bruto (PIB) apresentou queda de 1,7% na comparação entre o terceiro e o segundo trimestre de 2015, levando-se em consideração a série com ajuste sazonal. 

Na comparação com igual período de 2014, o PIB brasileiro registrado no terceiro trimestre do ano apresentou contração de 4,5%.

No acumulado dos quatro trimestres terminados no terceiro trimestre de 2015, o PIB registra queda de 2,5% em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores. Já no acumulado dos nove primeiros meses de 2015, o PIB apresentou queda de 3,2% em relação a igual período de 2014. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Neste trimestre, contribuíram para o desempenho negativo da economia a queda dos investimentos (-15,0%) e do consumo das familias (-4,5%). O consumo do governo registrou queda de 0,4%. Na análise dos setores, todos registraram queda, puxada pela indústria, que teve retração de 6,7%, pela agropecuária, de 2,0%, e pelos serviços, de 2,9%.

PIB VALOR CORRENTE (R$) VARIAÇÃO TRIMESTRAL
VARIAÇÃO ANUAL
VARIACÃO ACUMULADA
Brasil    1,481 Trilhão -1,7%  -2,5% -3,2%
Agropecuária   64,264 Bilhões -2,0%  +2,1% +2,1%
Indústria 295,223 Bilhões -6,7%  -4,7% -5,6%
Serviços 907,708 Bilhões -2,9%  -1,6% -2,1%
Famílias 937,195 Bilhões -4,5%  -1,8% -3,0%
Governo 289,137 Bilhões -0,4%  -1,1% -0,4%
Investimento 268,430 Bilhões -15,0% -11,2% -12,7%

Em valores correntes, o PIB no terceiro trimestre de 2015 alcançou R$ 1.481,4 bilhões, sendo R$ 1.267,2 bilhões referentes ao Valor Adicionado a preços básicos e R$ 214,2 bilhões aos Impostos sobre Produtos Líquidos de Subsídios. 

Taxa de Investimento 18,1%
Taxa de Poupança 15,0%

A taxa de investimento no terceiro trimestre de 2015 foi de 18,1% do PIB, abaixo do observado no mesmo período do ano anterior (20,2%). A taxa de poupança foi de 15,0% no terceiro trimestre de 2015 (ante 17,2% no mesmo período de 2014). 

 

PIB Brasil – 2° Trimestre de 2015

O Produto Interno Bruto (PIB) apresentou queda de 1,9% na comparação entre o segundo trimestre de 2015 e o primeiro trimestre do ano, levando-se em consideração a série com ajuste sazonal. Essa retração trimestral de 1,9% é a maior desde o primeiro trimestre de 2009, quando a economia também registrou o mesmo recuo.

Na comparação com igual período de 2014, o PIB brasileiro registrado no segundo trimestre do ano apresentou contração de 2,6%, a maior desde o primeiro trimestre de 2009, quando o recuo também foi de 2,6%.

No acumulado dos quatro trimestres terminados no segundo trimestre de 2015, o PIB registra queda de 1,2% em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores. Já no acumulado do primeiro semestre de 2015, o PIB apresentou queda de 2,1% em relação a igual período de 2014. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), esse resultado é o pior desde o primeiro semestre de 2009, quando caiu 2,4%.

Neste trimestre, contribuíram para o desempenho negativo da economia a queda dos investimentos (-8,1%) e do consumo das familias (-2,1%). Em contrapartida, o consumo do governo registrou alta de 0,7%. Na análise dos setores, todos registraram queda, puxada pela indústria, que teve retração de 4,3%, pela agropecuária, de 2,7%, e pelos serviços, de 0,7%.

PIB VALOR CORRENTE (R$) VARIAÇÃO TRIMESTRAL
VARIAÇÃO ANUAL
VARIACÃO ACUMULADA
Brasil    1,428 Trilhão -1,9%  -2,6% -1,2%
Agropecuária   76,093 Bilhões -2,7%  +1,8% +1,6%
Indústria 263,602 Bilhões -4,3%  -5,2% -2,9%
Serviços 879,231 Bilhões -0,7%  -1,4% -0,5%
Famílias 896,149 Bilhões -2,1%  -2,7% -0,6%
Governo 298,286 Bilhões +0,7%  -1,1% -0,3%
Investimento 254,226 Bilhões -8,1% -11,9% -7,9%

Em valores correntes, o PIB no segundo trimestre de 2015 alcançou R$ 1.428,3 bilhões, sendo R$ 1.218,9 bilhões referentes ao Valor Adicionado a preços básicos e R$ 209,4 bilhões aos Impostos sobre Produtos líquidos de Subsídios.

Taxa de Investimento 17,8%
Taxa de Poupança 14,4%

A taxa de investimento no segundo trimestre de 2015 foi de 17,8% do PIB, abaixo do observado no mesmo período do ano anterior (19,5%). A taxa de poupança foi de 14,4% no segundo trimestre de 2015 (ante 16,0% no mesmo período de 2014).

 

PIB Brasil – 1° Trimestre de 2015

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro apresentou variação negativa de 0,7% na comparação entre o primeiro trimestre de 2015 e o quarto trimestre de 2014, na série com ajuste sazonal. Em relação a igual período de 2014, na série sem ajuste sazonal, houve contração de 1,6% do PIB no primeiro trimestre do ano. No acumulado dos quatro trimestres terminados no primeiro trimestre de 2015, o PIB registrou queda de 0,9% em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores.

PIB VALOR CORRENTE (R$) VARIAÇÃO TRIMESTRAL
VARIAÇÃO ANUAL
VARIACÃO ACUMULADA
Brasil    1,408 Trilhão -0,7% -1,6% -0,9%
Agropecuária   79,648 Bilhões +4,8% +4,0% +0,6%
Indústria 267,921 Bilhões -0,7% -3,0% -2,5%
Serviços 851,453 Bilhões -0,9% -1,2% -0,2%
Famílias 887,763 Bilhões -1,5% -0,9% +0,2%
Governo 272,586 Bilhões -1,5% -1,5% +0,4%
Investimento 276,736 Bilhões -2,4% -7,8% -6,9%

Em valores correntes, o PIB no primeiro trimestre de 2015 alcançou R$ 1,408 trilhão, sendo R$ 1,199 trilhão no Valor Adicionado (VA) a preços básicos e R$ 209,0 bilhões em Impostos sobre Produtos líquidos de Subsídios. 

Taxa de Investimento 19,7%
Taxa de Poupança 16,0%

A taxa de investimento no primeiro trimestre de 2015 foi de 19,7% do PIB, abaixo do observado no mesmo período do ano anterior (20,3%). A taxa de poupança foi de 16,0% no primeiro trimestre de 2015 (ante 17,0% no mesmo período de 2014).

 

Projeções sobre o PIB do Brasil em 2015

De acordo com o último Boletim Focus do Banco Central do Brasil (BC) divulgado sobre o ano de 2015, o PIB brasileiro deveria fechar 2015 com uma forte queda de 3,71%. Já o Fundo Monetário Internacional (FMI) previa uma queda de 3,50% da economia brasileira em 2015.

Variação Histórica do PIB Brasileiro

20004,30-----------
20011,30-----------
20022,70-----------
20031,10-----------
20045,70-----------
20053,20-----------
20064,00-----------
20076,10-----------
20085,10-----------
2009-0,10-----------
20107,50-----------
20114,00-----------
20121,90-----------
20133,00-----------
20140,50-----------
2015-3,50-----------
2016-3,30-----------
20171,10-----------
20181,10-----------
20191,00-----------
Seu Histórico Recente
BOV
VALE5
Vale PNA
BOV
IBOV
iBovespa
BOV
PETR4
Petrobras
BOV
IGBR3
IGB SA
FX
USDBRL
Dólar EUA ..
Ações já vistas aparecerão nesta caixa, facilitando a volta para cotações pesquisadas anteriormente.

Registre-se agora para criar sua própria lista de ações customizada.

Ao acessar os serviços da ADVFN você estará de acordo com os Termos e Condições

P: V:br D:20191211 22:16:38