China: Inflação ao consumidor recua em agosto

LinkedIn

Pequim, 09 de Setembro de 2013 – O índice de preços ao consumidor na China (CPI) subiu 2,6% em agosto, na comparação com o mesmo mês do ano anterior. O ritmo de aumento dos preços foi ligeiramente inferior ao registrado em julho (2,7%). O dado, que foi divulgado pelo Departamento de Estatísticas da China, ficou dentro do esperado pelo mercado financeiro.

Ao longo dos oito primeiros meses de 2013, os preços médios ao consumidor subiram 2,5% perante igual período do calendário do ano passado. A inflação no país asiático tem oscilado entre 2,0% e 3,2% em 2013, abaixo da meta do governo para o ano, de 3,5%.

Em agosto, os preços dos alimentos tiveram aumento de 4,7% e os produtos não alimentícios avançaram 1,5%.

O Departamento de Estatísticas da China também divulgou o resultado do índice de preços ao produtor (PPI), que indicou deflação de 1,6% em agosto, ante o mesmo mês de 2012, seguindo uma queda de 2,3% apurada em julho. O mercado financeiro previa um recuo de 1,7%. Embora a deflação dos preços na porta das fábricas já dure 18 meses, o ritmo de declínio tem diminuído ante um pico de 3,6 por cento em setembro de 2012.

A estabilização da inflação na China é mais um sinal positivo sobre a recuperação da economia do país. Diversos dados divulgados em agosto demonstram que o gigante asiático deixa pra trás a fase de desaceleração econômica. É um sinal claro de que a economia vem reagindo bem às medidas adotadas pelo governo e de que a demanda externa por produtos chineses vem aumentando.

Uma taxa estável de inflação ao consumidor também dá ao banco central algum espaço de manobra em resposta a qualquer choque que possa surgir quando o banco central dos Estados Unidos começar a reduzir seu estímulo monetário.

Entretanto, qualquer forte mudança de política na segunda maior economia do mundo parece improvável em meio a preocupações com a alta dos preços imobiliários e após esforços para controlar os empréstimos irregulares.

Deixe um comentário