Belo Horizonte foi a cidade que registrou a maior alta nos custos da contrição civil em Janeiro de 2015

LinkedIn

Rio de Janeiro, 27 de Janeiro de 2015 – O INCC-M (Índice Nacional de Custo da Construção – Mercado, indicador da evolução dos preços de materiais, equipamentos, serviços e mão de obra utilizados no setor de construção civil brasileiro, fechou o primeiro mês do ano com variação mensal de 0,70%. Das sete capitais estaduais aferidas pelo índice, Belo Horizonte foi a que apresentou a maior aceleração da alta entre janeiro de 2015 e dezembro de 2014.

Seis capitais analisadas pelo INCC-M registraram aceleração da elevação dos custos da construção civil em janeiro ante dezembro: Salvador, Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo. Na contramão, apenas Recife apresentou desaceleração da alta dos preços.

Confira abaixo as variações percentuais do Índice Nacional de Custo da Construção – Mercado nas sete capitais aferidas pelo indicador:

– O índice de custo de construção aferido em Belo Horizonte registrou alta de 3,62% em janeiro e alta de 0,17% em dezembro (diferença de variação de 3,45%).

– O índice de custo de construção aferido em Porto Alegre registrou alta de 0,53% em janeiro e alta de 0,25% em dezembro (diferença de variação de 0,28%).

– O índice de custo de construção aferido em Rio de Janeiro registrou alta de 0,39% em janeiro e alta de 0,13% em dezembro (diferença de variação de 0,26%).

– O índice de custo de construção aferido em Salvador registrou alta de 0,35% em janeiro e alta de 0,09% em dezembro (diferença de variação de 0,26%).

– O índice de custo de construção aferido em Brasília registrou alta de 0,23% em janeiro e alta de 0,02% em dezembro (diferença de variação de 0,21%).

– O índice de custo de construção aferido em São Paulo registrou alta de 0,30% em janeiro e alta de 0,13% em dezembro (diferença de variação de 0,17%).

– O índice de custo de construção aferido em Recife registrou alta de 0,34% em janeiro e alta de 2,44% em dezembro (diferença de variação de -2,10%).

O INCC-M é calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), com base nos preços de materiais, equipamentos, serviços e mão de obra utilizados no setor de construção civil, coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.

Notícias relacionadas

– INCC-M registra variação de 0,70% em Janeiro de 2015

– INCC-M inicia 2015 com forte alta e acumula valorização de 6,74% nos últimos 12 meses

– Custos com vale transporte e tubos e conexões de PVC puxam alta do INCC-M em Janeiro de 2015

 

Deixe um comentário