Banco do Brasil (BBAS3): patrimônio líquido consolidado totalizou R$ 83,6 bilhões no primeiro trimestre de 2015

LinkedIn

Rio de Janeiro, 14 de Maio de 2015 – O patrimônio líquido consolidado do Banco do Brasil (BBAS3) no primeiro trimestre de 2015 totalizou R$ 83,598 bilhões. Esse valor é 3,70% superior ao registrado no quarto trimestre de 2014 (R$ 80,613 bilhões) e 13,71% superior ao apresentado no primeiro trimestre de 2014 (R$ 73,517 bilhões).

O patrimônio líquido consolidado é uma subconta do passivo total, que compõe o balanço patrimonial de qualquer empresa. No patrimônio líquido consolidado são computados o capital social, integralizado pelos acionistas por meio de aportes, os lucros acumulados pela empresa, as contas de reserva que podem ser constituídas, entre outros. Cada empresa tem determinadas contas que deve declarar no patrimônio líquido consolidado, mas, basicamente ele representa o investimento dos proprietários na empresa e as reservas de lucro e caixa que ela possui.

O patrimônio líquido consolidado é um indicador fundamentalista de grande importância, pois é a base para o cálculo do grau de alavancagem da companhia, do pagamento de juros sobre capital próprio e de outros índices. Ele representa o valor contábil pertencente aos acionistas da empresa.

Através da Ferramenta Método Sempre desenvolvida pela ADVFN, o maior portal virtual brasileiro de cotações de bolsas de valores nacionais e internacionais, o investidor tem acesso à evolução do patrimônio líquido consolidado do Banco do Brasil (BBAS3) nos últimos cinco anos, assim como à taxa de crescimento do patrimônio líquido consolidado entre os períodos avaliados, à taxa média de crescimento do patrimônio líquido consolidado anual e à atualização trimestral do patrimônio líquido consolidado.

Essas são informações essenciais para o investimento consciente em ações, pois um investidor de sucesso não investe em empresas que não apresentam um crescimento histórico consistente, assim como não deixa de avaliar, a cada divulgação de resultado trimestral, os fundamentos da empresa cujas ações decidiu investir.

 

Margem financeira bruta do Banco do Brasil no 1° Trimestre de 2015

Na comparação com o primeiro trimestre de 2014, a Margem financeira bruta (MFB) do Banco do Brasil (BBAS3) cresceu 17,6%, com destaque para a Receita Financeira com Operações de Crédito, que atingiu R$ 22.777 milhões no período, incremento de 14,8%, justificado, sobretudo, pelo aumento das receitas em virtude do maior volume e de reprecificação da carteira. Destaque também para as Despesas Financeiras de Captação e Captação Institucional cresceram no período 17,9% e 13,3%, respectivamente, devido ao aumento no volume de recursos captados e crescimento de 17% da taxa efetiva do CDI. A estratégia de diversificação do portfólio de captações do banco minimizou o aumento da despesa de Captação. Por fim, o Resultado de Tesouraria registrou R$ 3.285 milhões no período, evolução de 37,5%, reflexo principalmente do aumento na média de saldo diário de TVM, da elevação de 16,4% da TMS e da variação cambial no período.

 

Carteira de Crédito do Banco do Brasil no 1° Trimestre de 2015

A Carteira de Crédito Ampliada do Banco do Brasil (BBAS3) atingiu R$ 777 bilhões no primeiro trimestre de 2015, elevando-se em 11,1% em 12 meses, como mostra a tabela a seguir. A Carteira de Crédito Ampliada País cresceu 9,5% na mesma comparação.

A Carteira de Crédito Classificada alcançou R$ 700,8 bilhões no primeiro trimestre de 2015. A Carteira de Crédito Classificada País cresceu 9,5% em 12 meses, com participação de mercado de 20,8%.

As carteiras de crédito adquiridas pelo Banco do Brasil (BBAS3) compõem-se de operações de crédito consignado e financiamento de veículos. Destaque para o crescimento de 9,2% na carteira de crédito veículos adquirida na visão anual, chegando a R$ 13,8 bilhões no primeiro trimestre de 2015. A queda da carteira adquirida total na visão anual foi motivada pela consolidação e reorganização do setor, especialmente no segmento de crédito consignado. As operações com coobrigação respondem por mais de 99,0% do total.

A Carteira de Crédito Classificada Orgânica PF (excluindo-se as carteiras adquiridas e 50% das operações do Banco Votorantim) registrou crescimento de 12,2% em relação a março de 2014. Destaque para as operações de financiamento imobiliário, que apresentaram crescimento de 45,5% em 12 meses e 6,7% na visão trimestral.

A carteira de crédito imobiliário pessoa física chegou a R$ 30,4 bilhões em março de 2015, elevação de 45,5% em relação a março de 2014 e 6,7% na visão trimestral. Nos últimos 12 meses o crescimento foi de R$ 9,5 bilhões, confirmando a tendência de ganho de relevância da carteira, que passou de 12,3% para 16,7% na visão classificada. O incremento observado no período foi resultado da estratégia de ampliação de produtos ofertados aos clientes, bem como ganhos de eficiência na análise e liberação de operações.

O Banco do Brasil (BBAS3) é o principal parceiro do comércio internacional brasileiro, encerrando o primeiro trimestre de 2015 com participação de mercado de 26,4% e 19,1% em operações de câmbio exportação e importação, respectivamente. Com liderança nas operações de ACC/ACE, o BB encerrou o trimestre com 24,5% de  participação neste mercado.

No primeiro trimestre de 2015, o Banco do Brasil (BBAS3) contratou cerca de R$ 567,8 milhões em operações com Estados, visando financiar a execução de programas de investimentos constantes do plano plurianual e ações em infraestrutura, turismo, saúde, educação e segurança, aquisição de transportes escolares, máquinas, equipamentos e melhoria na gestão pública. e leis orçamentárias desses entes. Dessas operações foram desembolsados mais de R$ 283,8 milhões no trimestre.

O Banco do Brasil mantem seu posicionamento de “Banco da Micro e Pequena Empresa” (MPE), reforçando sua atuação como principal parceiro desse segmento. Ao final do primeiro trimestre de 2015, o Banco do Brasil possuía 2,3 milhões de clientes MPE.

 

Índice de Basileia do Banco do Brasil no 1° Trimestre de 2015

O índice de Basileia III do Banco do Brasil (BBAS3) alcançou 16,02% no primeiro trimestre de 2015, percentual acima do mínimo regulatório. O Índice de Capital Nível I realizado foi de 11,36%, sendo 8,68% de Índice de Capital Principal. Ambos os indicadores estão enquadrados e acima dos limites mínimos regulatórios. O Patrimônio de Referência do Banco alcançou R$ 128,7 bilhões.

 

Conheça o Banco do Brasil

Banco do Brasil S/A (BBAS3) é a maior instituição financeira do país, atendendo tanto a clientes pessoas físicas como a clientes pessoas jurídicas. Este banco público oferece um conjunto de produtos e serviços financeiros a seus clientes, tais como depósitos, contas poupança, gerenciamento de ativos, empréstimos, além de seguros de saúde, de vida e de propriedades. Além disso, o banco oferece serviços de transações financeiras em vários formatos, inclusive transações de câmbio e atividades complementares, com ênfase em previdência privada, capitalização, corretagem de títulos, administração de cartões de crédito e débito, consórcios, fundos de investimento e gerenciamento de portfólios.

Através da Ferramenta Método Sempre desenvolvida pela ADVFN, o maior portal virtual brasileiro de cotações de bolsas de valores nacionais e internacionais, o investidor tem acesso à evolução do patrimônio líquido consolidado do Banco do Brasil (BBAS3) nos últimos cinco anos, assim como à taxa de crescimento do patrimônio líquido consolidado entre os períodos avaliados, à taxa média de crescimento do patrimônio líquido consolidado anual e à atualização trimestral do patrimônio líquido consolidado.

Ferramenta Método Sempre também disponibiliza essas mesmas informações para outros indicadores fundamentais, essenciais para o investidor que deseja selecionar conscientemente as ações de empresas que comporão seu portfólio de investimento: receita operacional líquida, lucro líquido, ativo total, dividendos e juros sobre capital próprio, valor de mercado atual, último valor de mercado anual, valor de mercado mínimo anual, valor de mercado máximo anual, diferença média entre as cotações das ações ordinárias e preferenciais, índice preço/valor patrimonial (P/VP), dividend yield (DY), endividamento simples (passível exigível/ativo total), payout (dividendos/lucro líquido), índice preço/lucro (P/L) atual, índice preço/lucro (P/L) anual, índice preço/lucro (P/L) mínimo e índice preço/lucro (P/L) máximo.

Além disso, o investidor tem acesso à projeção do valor de mercado da companhia nos próximos cinco anos, caso a empresa consiga, ao menos, replicar a rentabilidade média obtida nos cinco anos anteriores. A ferramenta também calcula automaticamente qual será o ganho médio patrimonial do investidor nos próximos cinco anos, caso ele opte por comprar hoje as ações da companhia, caso a companhia mantenha o mesmo ritmo de geração de receita e caso o investidor reinvista todos os dividendos e juros sobre capital próprio pago pela companhia na compra de novas ações.

Todos esses dados são exportáveis automaticamente para planilhas Excel, com o intuito de permitir que o próprio investidor possa fazer suas premissas sobre o crescimento da companhia. Clique aqui para acessar a Ferramenta Método Sempre da ADVFN e passar a acompanhar tudo o que acontece com o ativo BBAS3.

 

Notícias Relacionadas

– Relatório sobre os resultados operacionais e financeiros do Banco do Brasil (BBAS3) no 1° trimestre de 2015

– Os ativos totais do Banco do Brasil (BBAS3) somaram R$ 1,524 trilhão ao fim do primeiro trimestre de 2015

– Banco do Brasil (BBAS3): patrimônio líquido consolidado totalizou R$ 83,6 bilhões no primeiro trimestre de 2015

– Receita líquida do Banco do Brasil (BBAS3) cresceu 61,7% no primeiro trimestre de 2015

– Banco do Brasil (BBAS3) registra lucro líquido R$ 5,8 bilhões no 1° trimestre de 2015

– O Banco do Brasil (BBAS3) distribuiu R$ 2,3 bilhões em proventos aos seus acionistas como parte do lucro obtido no primeiro trimestre de 2015

 

Deixe um comentário