ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for default Cadastre-se gratuitamente para obter cotações em tempo real, gráficos interativos, fluxo de opções ao vivo e muito mais.

Semana terá relatório do impeachment, IPCA, ata do Copom, atividade industrial e emprego nos EUA

LinkedIn

A semana será agitada tanto no Brasil quanto no exterior, com dados importantes na economia e na política. No Brasil, na quarta-feira, o senador Antonio Anastasia deve apresentar seu relatório sobre o impeachment da presidente Dilma Rousseff, e sua votação pela Comissão de Impeachment do Senado deve ocorrer na sexta-feira, dia 6. O assunto irá para então para o Plenário e pode ser analisado já na quarta-feira seguinte, dia 11, e, se o pedido for aprovado por maioria simples, a presidente será afastada, o que é a expectativa até mesmo no governo.  Dilma já teria inclusive retirado seus pertences do Palácio do Planalto e seu governo vive um clima melancólico de fim de festa. Nesse ritmo de despedida, a presidente aproveitou as comemorações do Primeiro de Maio para divulgar medidas populares, entre elas a correção de 9% para o Bolsa Família e de 5% na tabela do imposto de renda.

Equipe de Temer

Com o impeachment encaminhado o mercado volta sua atenção para o provável futuro governo de Michel Temer e sua equipe, que deve ter no ex-presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, o homem forte da economia. Romero Jucá, senador pelo PMDB e aliado de Temer, ficará no Planejamento e José Serra, selando o apoio do PSDB ao novo governo, com o Ministério das Relações Exteriores. Novos detalhes da equipe, como o comando do Banco Central, podem mexer com os mercados ao indicar como será a política de juros do futuro governo Temer.

Ata do Copom, inflação e atividade industrial

Falando em juros, na quinta-feira sai a ata da reunião do Copom da semana passada, que não mexeu nos juros, mas indicou uma mudança entre os diretores do BC, já que a dissidência de dois votos por um aumento dos juros deu lugar à unanimidade. Mas, ao mesmo tempo, o BC deixou claro que o momento ainda não permite reduzir as taxas, uma vez que as projeções de inflação do mercado seguem muito acima do teto da meta de inflação, de 6,5% este ano e 6% no ano que vem. A ata deve dar mais detalhes da visão do BC para o juro no curto prazo.

Outros dois dados importantes de inflação saem na sexta-feira, o IGP-DI da Fundação Getúlio Vargas e o IPCA do IBGE, usado pelo BC em suas metas de inflação. A projeção do Banco Fator é que o IGP-DI volte a desacelerar para 0,32%, ante 0,43% no mês anterior. Já o IPCA pode acelerar para 0,54%, ante 0,43% em março. Mesmo assim, o acumulado em 12 meses vai recuar, de 9,39% para 9,20% em abril, calcula o banco. O IBGE tratará também da atividade industrial, com os dados de março na terça-feira.

Emprego nos EUA e corrida presidencial

No exterior, a semana terá os dados importantes do emprego nos Estados Unidos relativos a abril. Na quarta-feira, saem os dados do setor privado, calculados pela consultoria ADP, e na sexta-feira, os dados oficiais do Departamento do Trabalho. Os números devem ajudar o mercado a traçar um cenário para os juros americanos. Nos EUA, a atenção também estará voltada para a corrida presidencial e a consolidação da candidatura do polêmico Donald Trump pelo Partido Republicano. Hillary Clinton segue com vantagem no Partido Democrata, mas seu principal opositor, Bernie Sanders, não jogou a toalha e diz que vai disputar com ela a convenção do partido.

A seguir, os principais indicadores da semana.

Segunda-feira, 2 de maio:

Na Europa, serão conhecidos os dados dos gerentes de compras (PMI na sigla em inglês) da Manufatura relativos a abril na zona do euro, na França e na Alemanha. No Brasil, a Fundação Getúlio Vargas divulga a inflação semanal do IPC-S, com o fechamento de abril, e o BC trará a pesquisa sobre as expectativas do mercado para os principais indicadores da economia no Boletim Focus. O Ministério do Desenvolvimento anuncia a balança comercial brasileira de abril. E a Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulga os indicadores industriais de março. A Fenabrave traz os dados de vendas de veículos de abril. E saem também o PMI da Manufatura do Brasil e dos Estados Unidos referentes a abril. Nos EUA, serão conhecidos os gastos com construção de março. E, à noite, a China divulga o PMI da Manufatura.

Terça-feira, 3 de maio:

O IPC da Fipe mostra a inflação na cidade de São Paulo em abril. No Reino Unido, sai p PMI da Manufatura de abril e, na zona do euro, a inflação no atacado (PPI) de março. No Brasil, o IBGE divulga a Produção Industrial de março. A projeção do Banco Fator é de alta de 1,1% sobre fevereiro, mas queda de 10,8% sobre o mesmo mês do ano passado.

Quarta-feira, 4 de maio:

No Brasil, o relator do processo de impeachment da presidente Dilma no Senado, Antonio Anastasia, deve apresentar seu parecer, que deve pedir a saída da presidente.

No cenário econômico, na zona do euro, as atenções ficam com os PMI de Serviços e Composto de abril, tanto da região como um todo quanto da França e da Alemanha. Saem também as vendas no varejo na zona do euro relativas a março. No Brasil, também saem os dados do PMI de Serviços e Composto, e o fluxo cambial. Nos EUA, o dado mais importante do dia são os números de emprego no setor privado da consultoria ADP, prévia do número oficial do governo que sai na sexta-feira, e que são observados com atenção pelo Federal Reserve (Fed, banco central americano) para definir a taxa de juros do país. No mesmo dia, saem também as Encomendas à Indústria de março, os estoques de petróleo bruto em abril e os PMI de Serviços e Composto dos EUA, além do Índice de Gerentes de Suprimentos (ISM) de Serviços, todos referentes a  abril. À noite, a China divulga seus PMI de Serviços e Composto de abril.

Quinta-feira, 5 de maio:

A FGV divulga os Indicadores do Mercado de Trabalho brasileiro em abril e o Banco Central torna pública a ata do Copom da semana passada, importante indicador para a tendência dos juros. A Anfávea anuncia as vendas de veículos de abril. Nos EUA, saem os pedidos de auxílio desemprego da semana passada e, à noite, a FAO divulga o Índice de Preços de Alimentos da ONU.

Sexta-feira, 6 de maio:

Dia de muitos indicadores de inflação. A FGV divulga seu IGP-DI de abril, com indicações importantes para a inflação no atacado (IPA) e no varejo (IPC). O IBGE traz a inflação oficial de abril, o IPCA. Nos EUA, o dia também é de dados importantes, sobre o mercado de trabalho em abril. O Departamento do Trabalho divulga o Payroll, com a criação de vagas no mês passado, e a taxa de desemprego, além do ganho médio por hora do americano. O Federal Reserve divulga o Crédito ao Consumidor no país.

Deixe um comentário