Fique de Olho: Focus espera queda maior do PIB e PF investiga fundos de pensão

LinkedIn

Focus projeta queda maior do PIB em 2016

Instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) esperam um encolhimento um pouco maior da economia, este ano. A estimativa para a queda do Produto Interno Bruto (PIB) passou de 3,16% para 3,20%. Para 2017, a previsão de crescimento subiu de 1,23% para 1,30%. As projeções fazem parte do Boletim Focus. Com relação à inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a projeção foi mantida em 7,34%. Para 2017, a estimativa caiu de 5,14% para 5,12%. A expectativa das instituições financeiras para a taxa Selic, ao final de 2016, foi mantida em 13,75% ao ano. Para o fim de 2017, a expectativa para a taxa básica foi alterada de 11,25% para 11% ao ano. A projeção para a cotação do dólar passou de R$ 3,29 para R$ 3,26, ao final de 2016, e segue em R$ 3,45 para o fim de 2017.

PF investiga fraudes nos quatro maiores fundos de pensão do país

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta segunda-feira a Operação Greenfield, que investiga crimes de gestão temerária e fraudulenta em quatro dos maiores fundos de pensão do país: Funcef, Petros, da Petrobras Previ e Postalis. A operação conta com o auxílio técnico do Ministério Público Federal, da Superintendência Nacional de Previdência Complementar e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Ao todo, 560 policiais federais cumprem 127 mandados judiciais expedidos nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina e Amazonas, além do Distrito Federal. A Justiça determinou ainda o sequestro de bens e o bloqueio de ativos e de recursos em contas bancárias de 103 pessoas físicas e jurídicas que são alvos da operação, no valor aproximado de R$ 8 bilhões.

Temer defende em cúpula na China que G20 trabalhe para gerar empregos

O presidente Michel Temer defendeu nesta segunda-feira na cúpula do G20 que o grupo das principais economias do mundo trabalhe para gerar empregos, necessários para a expansão econômica. Em um momento em que o Brasil soma quase 12 milhões de desempregados, Temer, que foi efetivado na Presidência na semana passada após o impeachment de Dilma Rousseff, disse que o país está reordenando sua economia para “criar as condições para a geração de empregos de qualidade”. Temer aproveitou também para reafirmar a posição brasileira em defesa de uma maior abertura do comércio internacional para os países em desenvolvimento.

As informações são da Agência Brasil e Reuters.

Deixe um comentário