Fique de olho: Heineken compra Schin, BB Seguridade lucra 4% mais, bolsa pede prazo no Cade

LinkedIn

Heineken compra Schincariol da Kirin por R$ 2,2 bi

A cervejaria Heineken anunciou hoje a compra da cervejaria Brasil Kirin, dona da Schincariol, por € 664 milhões, ou R$ 2,2 bilhões. O negócio torna a empresa holandesa a segunda maior cervejaria do Brasil. Para o BTG Pactual, o impacto para a concorrente Ambev, que tem ações no mercado, é um alívio de preço dado que a Brasil Kirin estava muito agressiva. Já no médio e longo prazo, “a leitura pode ser negativa pois a Ambev terá que lidar com um competidor mais forte, com cerca de 20% de mercado, com portfolio completo, marca e posicionamento muito forte no Nordeste”, diz o banco. “Achamos que o mercado vai ignorar esse efeito negativo por hora e focar no alívio de preço do curto prazo”.

BB Seguridade tem lucro 4% maior em 2016

BB Seguridade registrou lucro líquido ajustado de R$ 1,075 bilhão no quarto trimestre de 2016, 6% maior que o R$ 1,014 do mesmo período do ano passado. O número ficou ligeiramente acima do esperado pelo mercado, de R$ 1,064 bilhão, segundo a agência Broadcast. No acumulado do ano, o lucro ajustado foi de R$ 4,1 bilhões em 2016, 4,1% superior ao resultado reportado em 2015, e em linha com as projeções (guidance) divulgadas em agosto de 2016. Para este ano, a empresa divulgou novo guidance, de crescimento entre 1% e 5%. O desempenho foi sustentado pelo crescimento de 4,6% do resultado operacional e de 3,1% do resultado financeiro, ambos considerando o desempenho combinado de todas as companhias do conglomerado. No acumulado do ano, o volume total de prêmios de seguros emitidos, contribuições de previdência e arrecadação com títulos de capitalização atingiu R$ 68,9 bilhões, crescimento de 14,5% em relação a 2015. No comparativo, o principal destaque ficou por conta da Brasilprev, que apresentou alta de 16,3% no resultado antes dos impostos, explicada por maiores receitas com taxa de gestão associadas à melhora do índice de eficiência.

JBS aprova recompra de ações de quase R$ 2 bi

A JBS Friboi anunciou na sexta-feira à noite que vai recomprar até R$ 2 bilhões em ações no mercado, ou cerca de 152 milhões de papéis. A operação deve ajudar a aumentar os preços do papel.

BM&FBovespa pede 60 dias para explicar compra da Cetip no Cade

A BM&FBovespa pediu mais 60 dias para o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para explicar a proposta de compra da concorrente Cetip. Com isso, a decisão sobre a operação será adiada para abril. A expectativa é de que o Cade imponha condições para a fusão, que aumentará a concentração do mercado de capitais brasileiro com uma única bolsa para renda variável, renda fixa e derivativos.

Minério de ferro sobe 6% na China

O preço do minério de ferro voltou a subir na China, pressionado pela expectativa de que os Estados Unidos vão cumprir o plano de aumentar os investimentos em infraestrutura e com a conversa mais amistosa entre os presidentes Donald Trump e Xi Jinping na semana passada. A tonelada do minério no porto de Qingdao subiu 6,48%, para US$ 92,23, o que deve favorecer os papéis da Vale e de outras mineradoras pelo mundo, além das siderúrgicas. Após surpreender com dados da balança comercial, a expectativa é que tanto o índice de preços ao produtor (PPI) quanto o índice de preços ao consumidor (CPI) acelerem em janeiro, com a mediana das projeções apontando para uma alta anual de 6,6% e 2,4% respectivamente. Na China, o Índice da Bolsa de Xangai fechou em alta 0,58%, atingindo o maior nível em dois meses.

Maduro quer prender envolvidos em escândalo da Odebrecht; jornalistas brasileiros presos

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pediu neste domingo ao Ministério Público e ao Poder Judiciário do país que prenda as pessoas que receberam propinas da construtora Odebrecht na Venezuela. “Dou todo meu apoio para que façam justiça no caso da Odebrecht e mandem para a prisão as pessoas que receberam subornos”, afirmou o presidente em um evento por ocasião do Dia da Juventude na Venezuela. As informações são da Agência France-Presse (AFP). Maduro anunciou, além disso, que na próxima quarta-feira iniciará a “Missão Justiça Socialista”, um programa governamental para combater a corrupção e a criminalidade.

Jornalistas brasileiros presos na Venezuela são liberados

Ontem, os dois jornalistas brasileiros da TV Record detidos no sábado na Venezuela foram liberados e devem sair do país vizinho ainda hoje, informou o Ministério das Relações Exteriores. O horário da soltura não foi informado. O Itamaraty aguarda os profissionais deixarem o solo venezuelano para manifestar-se em nota sobre o episódio. Os jornalistas Leandro Stoliar e Gilson Souza foram presos no sábado no estado de Zulia, no norte da Venezuela, aproximadamente às 12h do horário local. A equipe foi detida pelo Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (Sebin) junto a dois ativistas venezuelanos, José Urbina e María Jose Túa. Segundo a ONG Transparência Venezuela, os jornalistas brasileiros investigavam denúncias de suborno por parte da construtora Odebrecht no país vizinho.

Ex-presidente do Peru nega fuga

O ex-presidente do Peru Alejandro Toledo, acusado de receber US$ 20 milhões da Odebrecht, negou hoje, pelo Twitter, estar foragido. Segundo ele, que estaria vivendo nos Estados Unidos, não havia ordem de prisão contra ele quando deixou o país. Ele pediu ainda que seja respeitado o princípio da presunção de inocência sobre as acusações. A Justiça peruana considerou na quinta-feira passada que há indícios suficientes que o ex-presidente favoreceu a Odebrecht e decretou sua prisão por 18 meses. Toledo nega as acusações.

Com informações de agências internacionais e Agencia Brasil.

 

O post Fique de olho: Heineken compra Schin, BB Seguridade lucra 4% mais, bolsa pede prazo no Cade apareceu primeiro em Arena do Pavini.

Deixe um comentário