Juro do cheque especial resiste em 13,46% ao mês em julho; crédito pessoal sobe para 6,37%

LinkedIn

Apesar da queda dos juros básicos, que já estão em 10,25% ao ano, e das taxas nos mercados futuros, os juros dos empréstimos nos bancos resistem a cair e até subiram em julho. É o que mostra pesquisa de taxas de juros realizada pelo Procon-SP em 4 de julho. A pesquisa mostrou que os juros médios do empréstimo pessoal subiram de 6,35% ao mês em junho para 6,37% em julho. Já no cheque especial, houve ligeira queda, de 13,47% para 13,46% ao mês, por conta de um banco que reduziu sua taxa. Fazem parte da pesquisa: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú, Safra e Santander.

A pesquisa do Procon mostra que, no empréstimo pessoal, uma instituição financeira apenas diminuiu a taxa do empréstimo pessoal e outra aumentou. A alta verificada no empréstimo pessoal foi no Banco do Brasil, que alterou a taxa de 5,81% para 5,99% ao mês, o que significa um acréscimo de 0,18 ponto percentual, representando uma variação positiva de 3,10% em relação à taxa de junho.

Já a queda foi do empréstimo pessoal no Itaú, que alterou de 6,43% para 6,35% ao mês, o que significa uma queda de 0,08 ponto percentual, representando uma variação negativa de 1,24% em relação à taxa do mês anterior. Os demais bancos mantiveram a taxa de empréstimo pessoal.

Já no cheque especial, somente uma instituição financeira reduziu a taxa, as demais mantiveram inalterada. A queda foi promovida pelo Itaú, que alterou de 13,15% para 13,07% ao mês, representando uma variação negativa de 0,61% em relação à taxa de junho. As demais instituições mantiveram inalteradas as suas taxas.

Confira a pesquisa completa aqui.

Especialistas do Procon-SP alertam que, apesar das sucessivas quedas da Taxa Selic, promovidas pelo Copom, os juros do mercado financeiro não caem na mesma proporção, sinalizando que o consumidor deve evitar contrair essas linhas de crédito, principalmente a do cheque especial

 

Deixe um comentário