Resumo do dia: Veja o que movimentou Brasília hoje

LinkedIn

Confira o que aconteceu na política nacional hoje.

Rodrigo Maia

O presidente da República em exercício, Rodrigo Maia, defendeu as privatizações, dizendo que isso não é a solução para o deficit públicos, mas que há a certeza que “nas mão do setor privado, [as empresas] são mais eficientes”. Ele também argumentou que arquivará a possível denúncia da Procuradoria Geral da República contra o presidente Michel Temer, se não houver embasamento, para que isso não atrase ainda mais a agenda das reformas.

Reforma da previdência

É previsto que a Reforma da Previdência  seja votada em outubro, mas Rodrigo Maia acredita que será difícil conseguir os 308 votos necessários para alterar a Constituição. “O problema não é a data, é ter voto para votar. hoje tem menos votos do que antes”, afirmou. Ele disse estar trabalhando diariamente para convencer os demais deputados, destacando a urgência da pauta, mesmo que polemica. “Aprovada a reforma da Previdência ainda este ano, o impacto na economia ano que vem vai ser muito forte e vai colaborar com a eleição de 2018”.

Dória presidente

O prefeito de São Paulo João Dória afirmou que será candidato à Presidência da República em 2018 no dia em que se manifestar claramente sobre o assunto e caso tenha o apoio de algum partido, sem ser necessariamente o PSDB. Atualmente, o prefeito é tão cotado para concorrer ao cargo pela legenda, quanto o seu padrinho político Geraldo Alckmin, governador de São Paulo. Dória disse em entrevista ao jornal o Estado de S. Paulo que no momento não possui interesse em sair do PSDB, mas que já recebeu convites de outros quatro partido, os quais optou por não revelar o nome.

Delação de Joesley Batista

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin manteve em segredo de Justiça os áudios que revelam conversas do empresário Joesley Batista e seu advogados durante o processo de negociação da delação premiada. os áudios foram recuperados pela Polícia Federal (PF) após a defesa do empresário retirar as gravações do pen drive entregue aos peritos para comprovar a veracidades das provas apresentadas nas denúncias da JBS.

Orçamento judiciário

Conselho Nacional de Justiça (CNJ)  divulgou hoje que um juiz tem um custo mensal de R$ 47,7 mil, segundo dados de 2016, o que representará 89,5% das despesas totais to orçamento do Judiciário no próximo ano. A pesquisa também informou que os tribunais conseguiram 100% de eficiência, obtendo mais produtividade com menos recursos.

Lula na Lava Jato

O juiz federal Sérgio Moro negou o pedido da defesa do ex-presidente Lula de suspender os interrogatórios do processo sobre a compra de um terreno para o Instituto Lula e um imóvel vizinho ao seu apartamento em São Bernardo do Campo. Os advogados argumentaram que precisavam de mais tempo para analisar os documentos do processo, mas Moro não viu base legal para adiar o processo e que os acusados poderão ser ouvidos novamente no futuro, caso seja necessário realizar novas perguntas para complementar os documentos. Este é o segundo processo da Operação Lava Jato  que Lula está respondendo, sendo que ela já foi condenado pelo primeiro, que envolve o tríplex no Guarujá.

Edição de áudios

A perícia da Polícia Federal descartou a possibilidade dos áudios gravados por Joesley Batista de conversas com o senador Aécio Neves e com Rocha Loures, ex-assessor do presidente Michel Temer, terem sido editados. Para eles, as interrupções do áudio foram causados pelo gravador usado pelo empresário. Na conversa, Aécio pediu R$2 milhões para pagar seus advogados.

Deixe um comentário