Bovespa recua e fecha novembro com queda de 3,15%

LinkedIn

As incertezas sobre a Reforma da Previdência derrubaram, novamente, o Ibovespa hoje.

Histórico

O indicador fechou o dia com desvalorização de 1%, com 71.970,99 pontos. As ações da CPFL Energia (CPFE3) despencaram 24,1%, as da Eletrobras ON (ELET3) caíram 6,8%, as da Cemig (CMIG4) perderam 6%, enquanto tanto os ativos da Fibria (FIBR3), da Smiles (SMLS3) quanto os da Eletrobras PNB (ELET6) recuaram 5% cada.

Após 19 pregões em novembro, o índice desvalorizou 4,15%. Já se foram nove fechamentos negativos contra 10 positivos. O mês de outubro encerrou com 74.308,49 pontos.

Já no comparativo de 2017, após 223 pregões, o Ibovespa subiu 19,50%. Já foram 111 fechamentos positivos contra 112 negativos. Em 2016, o índice fechou com 60.227,29 pontos.

ScreenShot2017-11-30at19.06.49

Influências

Os investidores estão cada vez mais temerosos que a Reforma da Previdência não saia do papel. Hoje, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou que a medida está “muito longe” dos 308 votos necessários para a aprovação.

Isso foi somado ao comentário de ontem, do ministro da Casa Civil Eliseu Padilha, sobre o governo não estar disposto a fazer novas concessões sobre o texto da Reforma da Previdência.

Para a Reuters, os analistas da Magliano apontam que o governo foi para “o tudo ou nada” e jogou a responsabilidade para os deputados, principalmente para o PSDB, que abandonou a base aliada ontem.

Deixe um comentário