Para diminuir dívidas, Gerdau negocia unidades nos EUA por US$ 600 milhões

LinkedIn

A Gerdau (GGBR4informou nesta terça-feira (3) a venda da fatia de seus negócios nos EUA para a companhia Commercial Metals Company (CMC).

O preço da movimentação, de US$ 600 milhões, somam quatro usinas produtoras de vergalhão e 33 unidades de beneficiamento. Outra parte dos recursos será usada para diminuir as dívidas da companhia, que alcançou no terceiro trimestre de 2017,  R$ 18,7 bilhões.

Já no hemisferio Norte, a receita liquida da empresa, já soma 40%. A arrecadação companhia no terceiro trimestre foi de R$ 9,5 bilhões. O grupo tem 110 unidades nos Estados Unidos e Canadá. O objetivo da empresa é parmanecer em acordos com dêem rentabilidade.

Os polos produtores negociados pela empresa estão em Knoxville (Tennessee), Jacksonville (Flórida), Sayreville (New Jersey) e Rancho Cucamonga (Califórnia), com capacidade total de 2,5 milhões de toneladas por ano.

A conclusão deve ser realizada até o fim de 2018, e aguarda a autorização de órgãos regulatórios locais.

A companhia ainda afirmou em agosto do ano passado, que o executivo, que teve envolvimento na Operação Zelotes, da Policia Federal, sairia do cargo. Com a mudança, assumiu o posto, o diretor executivo das operações no Brasil, Gustavo Werneck.

Dívida

Com uma dívida que somava R$ 18,7 bilhões (valor bruto) no terceiro trimestre, o grupo encerrou alguns negócios dos últimos anos. De 2014 até 2017, a companhia desfez de ativos no exterior, arrecadando R$ 3,2 bilhões.

O mercado reagiu com bom humor com a divulgação da venda anunciada nesta terça-feira (2). Os ativos preferencias da Gerdau encerraram em alta de 4,77% e os papéis da Metalúrgica Gerdau (holding do grupo) elevaram 4,49%.

De acordo com o analista do Banco do Brasil (BBAS3e do BTG (BPAC3) , a negociação dos polos nos Estados Unidos é um sinal positivo. Os acordos do grupo hoje nos EUA tem uma estrutura anual  de 9,1 milhões de toneladas de produtos acabados. A comercialização das 37 unidades deve recuar a produção em 2,5 milhões de toneladas, com a saída dos vergalhões a favor de aços diferentes, com maior preço de mercado.

* Informações do site Estadão

 

Deixe um comentário