ADVFN Logo ADVFN

Não encontramos resultados para:
Verifique se escreveu corretamente ou tente ampliar sua busca.

Tendências Agora

Rankings

Parece que você não está logado.
Clique no botão abaixo para fazer login e ver seu histórico recente.

Hot Features

Registration Strip Icon for pro Negocie como um profissional: Aproveite discussões em tempo real e ideias que movimentam o mercado para superar a concorrência.

Bovespa sobe de olho no noticiário corporativo

LinkedIn

Ibovespa subiu hoje, com os investidores reagindo ao noticiário corporativo e à divulgação dos resultados.

Histórico

O indicador subiu 0,32%, cotado a 84.792,71 pontos. As ações da Gerdau (GGBR4) e da Gerdau Met (GOAU4) dispararam 5% e 4,4%, respectivamente, as da Cosan (CSAN3) subiram 4,1% e as da Petrobras ON (PETR3) e da Petrobras PN (PETR4) ganharam 2,8% e 3,2% cada.

Por outro lado, os papéis do BB Seguridade (BBSE3) caíram 4,6%, os da Tim (TIMP3) recuaram 2,1% e os da BR Malls (BRML3) e do Banco do Brasil (BBAS3) desvalorizaram 1,7%, respectivamente.

Após 11 pregões em fevereiro, o índice desvalorizou 0,14%. Já se foram 6 fechamentos positivos contra 5 negativos. Em janeiro, o indicador fechou com 84.912,70 pontos.

Já no comparativo com 2017, após 32 pregões, o Ibovespa subiu 10,98%. Já foram 20 fechamentos positivos contra 12 negativos. Ano passado, o índice fechou com 76.402,08 pontos.

Influências

Nos Estados Undiso é feriado, portanto, o mercado hoje atuou sem um referêncial. Diante disso, as negociações foram influenciadas pelo noticiário corporativo, com a temporada de balanços ainda em alta.

No Brasil também repercutido a alta de 1,41% em dezembro no Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), espécie de sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB).

Outro ponto a ser destacado são as especulações em torno da Reforma da Previdência agora que o governo decretou internveção federal na segurança do Rio de Janeiro. A Constituição proíbe alterações no seu texto em momento de intervenção. “Após a revisão do rating pela S&P, e sem a reforma da Previdência, espere novas revisões da nota de crédito”, escreveram analistas da Guide Investimentos, em nota a clientes.

Deixe um comentário