Dinheiro não é confete: 6 dicas para evitar o descontrole financeiro no Carnaval

LinkedIn

Aproveitar o Carnaval com alegria e sem medo do “furo” que costuma aparecer no orçamento na Quarta-Feira de Cinzas não é impossível, desde que se tenha alguns cuidados e planejamento. Para ajudar quem quer cair na folia sem descontrole financeiro, a equipe do aplicativo GuiaBolso, site de organização financeira, preparou seis dicas simples, mas que podem fazer a diferença para evitar a ressaca do seu bolso.

1 – Organize o samba-enredo: estabeleça um teto para os gastos

Antes de cair na farra, é importante avaliar seu orçamento atual e estipular até quanto pode-se gastar no feriado. A dica serve tanto para quem vai viajar quanto para quem pretende ficar na cidade, pois saídas a bares, restaurantes, bloquinhos e outros tipos de lazer também podem pesar mais que o desejado e acabar estourando as contas.

Sem uma meta para as despesas, aumenta a chance de o folião ou a foliã (ou ambos) se empolgar e gastar mais do que deveria. Anotar este valor em algum lugar pode ajudar a se lembrar dele, especialmente na hora da ressaca. A anotação pode ser em papel, em algum lugar que a pessoa sempre veja, como a porta da geladeira das cervejas, ou mesmo no celular, em aplicativos, usando uma ferramenta planejamento.

2. Mantenha o ritmo: divida seu orçamento por dia

Se for viajar, é interessante dividir esse teto de gastos pré-estabelecido por dia. Isso pode ajudar a planejar os passeios ou os gastos na praia. Haverá dias em que o passeio será mais caro, mas você pode compensar com dias de saídas gratuitas, como um parque ou um bloquinho. Por que isso ajuda? Porque, quando se olha o valor total reservado para as festas, pode-se ter a falsa ilusão de que é muito dinheiro e acabar com a folia. Dividindo a meta de gastos por dia, cumpri-la vai ficar mais fácil.

3. A folia deve começar em casa

Para quem vai sair nos bloquinhos na própria cidade, uma dica importante é tentar fazer as refeições ou mesmo o “esquenta” em casa, antes de sair. Comprar bebidas no supermercado vai ficar muito mais em conta do que pagar R$ 5, no mínimo, por lata de cerveja. O mesmo vale para a alimentação: gastar R$ 20 por pessoa, por exemplo, para comer todos os dias fora de casa durante o Carnaval  pode somar uma quantia significativa, especialmente para famílias.

4. Carro, só os alegóricos

As pessoas que vão pular o Carnaval em alguma grande cidade podem economizar com transporte. Os bloquinhos costumam ser bem localizados e geralmente fica fácil ir para esses locais de transporte público. Além de aproveitar mais, gasta-se menos do que usando o carro, contando gasolina e estacionamento. É bom lembrar também que os serviços e produtos das regiões dos bloquinhos (ou mesmo em praias) costumam ficar mais caros durante o Carnaval, então, vale a pena buscar alternativas.

5. Faça você mesmo sua fantasia

Com a popularização dos blocos e do Carnaval de rua, está cada vez mais comum a pessoa apostar numa fantasia feita por ela mesma, bastando ter criatividade ou mesmo buscar opções e referências na internet. Uma tiara ou um colar colorido ou mesmo uma maquiagem diferente já vão ajudar no espírito carnavalesco sem pesar no bolso.

6. Evite o bloco dos endividados

Outra dica de orientadores financeiros é tentar evitar dívidas ou o parcelamento de gastos e compras na euforia da festa, para não comprometer o orçamento nos próximos meses do ano. Se puder pagar as despesas à vista, com desconto, seu bolso certamente vai agradecer. E a folia poderá se estender para os outros feriados do ano.

 

Deixe um comentário