Bom dia, Investidor! 16 de março de 2018

LinkedIn

Esse é o Bom Dia, Investidor, com tudo o que você precisa saber antes da Bolsa abrir!

Para saber o que aconteceu ontem após o fechamento do mercado, confira o nosso Boa noite, Investidor!

Pré Market

A semana chega ao fim com os investidores tentando absorver os recentes episódios da guerra comercial e das investidas protecionistas da Casa Branca, à medida que os touros (bull market) e os ursos (bear market) debatem qual deve ser o próximo movimento do mercado financeiro. Do lado da alta, prevalece a percepção de que os lucros das empresas, os dados econômicos fortes e o corte de impostos nos Estados Unidos são razões suficientes para manter a tendência positiva dos ativos de risco.

Nesse lado, os touros argumentam que as ameaças do presidente norte-americano, Donald Trump, não passam disso, uma intimidação a fim de barganhar melhores condições de troca no comércio global. Já no campo oposto, os ursos vislumbram um viés negativo e se mostram preocupados com o desenrolar das ações nos EUA, apoiados na perspectiva de que a inflação pode ganhar força e levar o Federal Reserve a aumentar a taxa de juros de modo mais agressivo, sob o impacto da taxação de produtos e da defesa do protecionismo.

Nesse embate, os negócios globais buscam ao menos uma acomodação dos preços, até que surja algum vento de cauda (tailwind) ou de cabeça (headwind) em escala global, capaz de puxar os ativos para baixo ou para cima, respectivamente. Nesse sentido, o vencimento quádruplo (quadruple witching) em Wall Street traz uma dose extra de volatilidade à sessão em Nova York, sendo que os índices futuros das bolsas já apontam para uma abertura no vermelho.

Leia: Pré-Market: Touro x Urso

Destaques Corporativos

Petrobras (PETR4): Durante o ano de 2017, a Petrobras somou o seu quarto prejuízo anual consecutivo e depois de quatro anos, o presidente da estatal, Pedro Parente, acredita que os efeitos da Operação Lava-Jato estão se aproximando do fim.

Fibria (FIBR3): Segundo o jornal Valor, o banco BNDES aprovou a consolidação entre o grupo Suzano e a Fibria, as duas maiores empresas produtoras de celulose e eucalipto. A Paper Excellence também estava na disputa chegou a apresentar uma nova proposta na quarta-feira.

Kroton (KROT3): A Kroton anunciou nesta sexta-feira (16), que o seu Conselho de Administração aprovou um aumento de capital de R$ 50 milhões. Com isso, o capital social da empresa passará de R$ 4,36 bilhões para R$ 4,42 bilhões.

Lojas Renner (LREN3): Na noite desta quinta-feira (15), a Renner anunciou que o seu Conselho de Administração aprovou o pagamento de R$ 51 milhões sob a forma de Juros sobre Capital Próprio.

Copel (CPLE3): A Copel contratou a BTG Pactual corretora para exercer a função de formador de mercado de suas ações ordinárias (CPLE3) e preferências (CPLE6) na B3.

São Carlos (SCAR3): A São Carlos anunciou a venda da sua participação de 63% no edifício Morumbi Park pelo valor de R$ 137,4 milhões.

Qualicorp (QUAL3): A Qualicorp reportou lucro líquido de R$ 385,8 milhões no quarto trimestre de 2018, queda de -8,3% quando comparado ao mesmo período do ano anterior.

Kroton (KROT3): A Kroton registrou lucro líquido ajustado de R$ 488,6 milhões no 4T17, alta de 0,2% em relação ao mesmo período de 2016.

Estácio (ESTC3): Na noite desta quinta-feira (15), a Estácio anunciou os seus resultados referente ao exercício de 2017. Segundo a empresa, o lucro líquido de 2017 foi de R$ 424,6 milhões.

Recomendações de Ativos

Eletrobras (ELET6): O banco Morgan Stanley optou por elevar o preço-alvo do papel para R$ 38,50.

Qualicorp (QUAL3): Após os resultados fracos apresentados pela empresa, a equipe Credit Suisse cortou a recomendação do ativo para neutra, com preço-alvo reduzido para R$ 29.

Locamérica (LCAM3): O Santander iniciou a cobertura do papel com recomendação de compra e preço-alvo em R$ 39.

Petrobras (PETR4): O BB Investimentos reduziu a recomendação do ativo para market perform‚ com preço-alvo em R$ 23,50.

Notícias

Cotação / Minério de Ferro – Os contratos futuros do minério de ferro, negociados na bolsa de Dalian, na China, recuaram 1,22% na sessão dessa sexta-feira, encerrando o dia a 484 iuanes por tonelada.

Cotação / Bitcoin – A principal criptomoeda esta sendo negociada abaixo dos US$ 8.500. Na manhã desta sexta-feira, a moeda operava com variação negativa de -0,7, cotado a US$ 8.196,8.

Inflação / Zona do Euro – Segundo dados da Eurostat, agência de estatísticas da União Europeia, a inflação da zona do euro subiu menos do que o esperado durante o mês de fevereiro.

Agenda Econômica

BRASIL
* A Fundação Getulio Vargas (FGV) divulga às 8h os dados da segunda leitura do Indice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) referentes a março.

* O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga às 9h os dados da Pesquisa Mensal de Serviços e da receita real do setor referentes a janeiro.

ESTADOS UNIDOS
* Os dados sobre a construção de moradias de fevereiro serão publicados às 9h30 pelo Departamento do Comércio. Em janeiro, o número de construções subiu 9,7% ante dezembro. O mercado prevê queda de 3,8% nas construções em fevereiro.

* Os dados sobre a produção industrial em fevereiro serão publicados às 10h15 pelo Federal Reserve. Em janeiro, a produção caiu 0,1% ante dezembro. Analistas esperam alta de 0,4% em fevereiro.

* O relatório Jolts sobre emprego e número de vagas disponíveis em janeiro será publicado às 11h pelo Departamento do Trabalho. Em dezembro, foram registrados 5,811 milhões de postos de trabalho abertos. Analistas preveem 5,9 milhões de vagas em janeiro.

* A versão preliminar do índice de confiança do consumidor de março será publicada às 11h pela Universidade de Michigan e pela Thomson Reuters. Em fevereiro, o índice subiu para 99,7 pontos, de 95,7 pontos em janeiro. Analistas esperam 99 pontos em março..

EUROPA E ÁSIA
* Japão: a leitura revisada da produção industrial de janeiro será publicada à 1h30 pelo Ministério da Economia, Comércio e Indústria. A versão preliminar mostrou alta de 2,7% na produção em janeiro em base anual e queda de 6,6% na comparação com o mês anterior.

* Eurozona: a leitura final do índice de preços ao consumidor de fevereiro será publicada às 7h pela Eurostat. Na versão preliminar, o índice subiu 1,2% em fevereiro em base anual.

Deixe um comentário