Reaquecimento do setor varejista impulsionará investimento em tecnologia

LinkedIn

Pesquisas e dados preveem uma retomada do varejo em 2018. Ambiente econômico mais favorável com recuperação da renda e do crédito, além de inflação e juros mais baixos contribuem para esta perspectiva positiva para o comércio. O índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF), levantado pela Confederação Nacional do Comércio, Bens e Serviços (CNC) registrou aumento de 4,2% em fevereiro, em relação ao mês anterior. O aumento do consumo é o principal indicador do mercado varejista.

Segundo o especialista em TI para o varejo, Cléber Piçarro – diretor da EAC Software – referência em gestão do varejo, após um momento de completa instabilidade econômica, o foco do varejo será investir em vendas, marketing, informatização e na implementação de tecnologia e inovação. “Da crise é que se tira boas lições. Acredito que as empresas repensaram seus modelos de negócios, operações e estratégias. A partir dessa tendência de reaquecimento, há também a necessidade de entender quem é novo consumidor” apontou Cléber Piçarro.

Para o especialista, será necessário, por parte das redes varejistas, um esforço para encontrar novos e melhores caminhos para aproveitar essa fase de expansão e também crescer nos próximos anos. “Bem-sucedida será a empresa que aproveitar essas perspectivas otimistas, traçando assertivas estratégia de vendas e negócios para dar conta de atender toda a demanda que irá surgir”, afirmou Cléber. Outro caminho para 2018, indica ele, é continuar investindo em tecnologia para incrementar as vendas.

Tendências

Vendas on-line, ações como análise de dados, Big Data, Omni Channel e Inteligência Artificial são diferenciais tecnológicos que permitem às grandes varejistas estabelecer suas estratégias competitivas. “As empresas precisam conhecer e testar as novas tecnologias e nós estamos desenvolvendo recursos que convertam essa gama de informações e dados em vendas”, explica Cléber Piçarro, diretor da EAC Software – referência em gestão do varejo nos setores de Móveis e Eletroeletrônicos, Material de Construção, Moda e Calçados e Autopeças.

Ele afirma que, fazer a gestão de negócio por meio de um software completo e integrado com todos os recursos exigidos para a operação de uma rede varejista, do PDV até a contabilidade, adaptáveis às características únicas e específicas de cada uma das operações dos nossos clientes, é garantia de produtividade e lucratividade. Além disso, “recolher e analisar dados, acompanhar a rotina de consumo dos clientes para fazer sugestões de compras mais assertivas” é a garantia do comando do varejo.

Deixe um comentário