Copa do mundo: impactos na bolsa de valores

LinkedIn

Volume financeiro diminuiu cerca de 50% durante os jogos e investidor deve ficar atento

Levantamento feito pela WM Manhattan, empresa mineira que opera e capacita investidores para atuar na bolsa de valores aponta que o volume financeiro diminui consideravelmente nos dias de jogos do Brasil na Copa do Mundo. No início do mês (8/6), antes do torneio começar, o Ibovespa apresentou um volume de negociação total de 12,5 bi. Na estréia da seleção brasileira (17/6), o volume total negociado no Ibovespa foi de 6 bi. Redução de 50% no volume total negociado.

De acordo com o CEO da empresa, Pedro Henrique Rabelo, isso acontece devido ao fato do horário dos jogos, muitas vezes, coincidirem com a abertura das bolsas. “Grandes eventos esportivos sempre chamam a atenção das pessoas. A volatilidade do mercado financeiro é uma conseqüência”, aponta.

“Neste sentido, o mercado fica mais sensível às questões inesperadas, aos rumores e especulações. Tendo isso em vista, principalmente o daytrader, deve tomar muito cuidado em suas operações durante esse período”, explica Pedro Henrique.

Pedro Henrique alerta que esse efeito de diminuição do volume e de menor atenção dada pelos investidores ao mercado é intensificado durante os jogos importantes, o que pode causar períodos de descolamento do preço de ativos nas bolsas nacionais em relação ao mercado internacional. “Esses são momentos em que a arbitragem dos High Frequency Trading (HFTs – robôs de alta frequência que operam em micro segundos) pode se tornar mais presente do que de costume”, ensina.

De acordo com o especialista, os resultados dos jogos causam efeito psicológico nos investidores e esse sentimento pode ter impacto nas bolsas nacionais no primeiro dia após derrotas ou vitórias. “Essa correlação tende a aparecer apenas em situações de derrota, mostrando que os efeitos no sentimento dos investidores são diferentes caso os times percam ou vençam”.

Para Pedro Henrique, fica nítido que o mercado sofre desvalorização em todas as copas, provavelmente devido ao fato de aproximadamente um terço dos investidores nas bolsas americanas serem de origem internacional. “Mas é importante lembrar que esses padrões percebidos podem se alterar e não são nenhuma garantia de oportunidade para o investidor”, alerta Rabelo.

Independente desses estudos, o mais importante é lembrar que o volume diminui e a volatilidade pode aumentar. “Por isso, cuidado nos tradese diminuam a mão. O Payoff (relação entre o risco e o retorno) em momentos de alta volatilidade tem frequências diferentes”, finaliza.

Deixe um comentário