Inflação dos pobres, INPC subiu 0,43% em maio e acumula 1,12% no ano, menor desde 2000

LinkedIn

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que estima a inflação para famílias com renda de até cinco salários mínimos, subiu 0,43% em maio e ficou 0,22 p.p. acima da taxa de 0,21% de abril.

O acumulado no ano é de  1,12%, menor nível para o período desde 2000, quando a inflação de janeiro a maio foi de 0,83%. O acumulado dos últimos 12 meses foi de 1,76%, ficando acima do 1,69% registrado nos 12 meses imediatamente anteriores. Em maio de 2017, o INPC havia sido 0,36%, informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A variação do INPC ficou acima da do IPCA, que estima a inflação para famílias com renda de até 40 salários mínimos, diferença que pode ser atribuída à importância maior de determinados produtos para cada faixa de renda. Os alimentos, que têm maior peso para a baixa renda, subiram 0,29% em maio, enquanto, no mês anterior, a alta havia sido de 0,11%. O agrupamento dos não alimentícios variou 0,49% no mês passado, enquanto, em abril, havia registrado 0,25%.

Entre os índices regionais, o maior índice foi em Campo Grande (1,12%) em virtude da alta de 8,90% na energia elétrica decorrente do reajuste de 10,65% nas tarifas, em vigor desde 08 de abril, aliado a aumento na alíquota de PIS/Cofins.

O menor índice foi o de Belo Horizonte (0,13%) em razão da queda de 1,65% nas tarifas de energia elétrica dada a redução nas alíquotas de PIS/Cofins, apesar do reajuste de 18,53% nas tarifas a partir de 28 de maio. A tabela a seguir apresenta os resultados por região pesquisada pelo IBGE.

INPC – Variação mensal, ano e 12 meses por região
Região Peso Regional (%) Variação mensal (%) Variação Acumulada (%)
Abril Maio Ano 12 meses
Campo Grande 1,64 0,72 1,12 1,25 1,22
Salvador 8,75 0,34 0,98 1,59 2,03
Porto Alegre 7,38 0,46 0,84 2,03 2,70
São Luís 3,11 0,81 0,81 0,81
Vitória 1,83 0,25 0,64 1,33 1,51
Recife 5,88 0,28 0,63 0,66 0,85
Curitiba 7,29 0,04 0,61 0,88 2,42
Goiânia 4,15 -0,27 0,57 0,15 3,02
Rio Branco 0,59 0,44 0,44 0,44
Rio de Janeiro 9,51 0,29 0,29 1,80 1,02
São Paulo 24,24 0,04 0,24 0,86 2,27
Aracaju 1,29 0,20 0,20 0,20
Brasília 1,88 0,37 0,18 0,61 1,61
Belém 6,44 0,31 0,15 1,22 1,01
Fortaleza 5,42 0,22 0,15 0,90 0,99
Belo Horizonte 10,60 0,26 0,13 0,94 1,06
Brasil 100,00 0,21 0,43 1,12 1,76
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços

 

Deixe um comentário