IPO ou Startups? Tirando o fato das empresas abrirem capital lá fora (o que já dificulta o acesso a maioria dos investidores brasileiros), não é mais no IPO que estão os ganhos exponenciais.

LinkedIn

Antigamente uma empresa que estava crescendo ia para a bolsa para fazer o seu IPO.  Quem investia nesse momento geralmente tinha ganhos exponenciais, pois a empresa ainda tinha um bom espaço de mercado para crescer. Com a injeção de capital do IPO, esse crescimento vinha muito forte e consequentemente valorizava a ação de quem tinha entrado logo no início das vendas das ações.

O que temos identificado nos últimos anos no mercado é que isso já não está mais acontecendo e, no Brasil, ainda menos, pois poucos são os IPOs que foram realizados aqui nos últimos anos. As empresas têm preferido inclusive abrir capital nos USA do que no Brasil.

Mas, tirando o fato de abrirem capital lá fora (o que já dificulta o acesso a maioria dos investidores brasileiros), não é mais no IPO que estão os ganhos exponenciais. Por que?

Temos visto uma leva de startups e empresas inovadoras que, quando chegam ao IPO, já cresceram muito e enxergam neste tipo de processo uma forma de se perpetuar no mercado e permitir inclusive que os fundadores possam vender parte de suas ações gerando liquidez para eles.

Porém, por que antigamente estas empresas chegavam no IPO para crescer e hoje não é mais assim? Simples: hoje existe bastante dinheiro de capital de risco disposto a investir em empresas e acelerar o seu crescimento. São os Fundos de VC (Venture Capital) e investidores de risco que estão aportando caminhões de dinheiro nestas empresas. Este dinheiro é utilizado para o crescimento desses negócios, não sendo mais necessário esperar pelo IPO para receber estes aportes para prosperar.

E de que maneira isso te afeta? Você dificilmente terá acesso para ser um investidor destes fundos ou aos ganhos exponenciais que antes poderia acessar, simplesmente porque estes VCs só operam com dinheiro de gente muito muito rica mesmo, não sendo possível que os grandes investidores participem, quem dirá o investidor médio.

Nem tudo é só problema nesse cenário: nós temos uma solução para esta situação. Você já ouviu falar em equity crowdfunding ou, em português, financiamento coletivo de participação societária? Essa é uma modalidade que foi regulada pela CVM em final de 2017 e que permite que qualquer investidor possa acessar ofertas de investimentos de empresas de até 10 milhões de reais de faturamento/ano.

Ou seja, o equity crowdfunding é a maneira que você, investidor pessoa física, pode acessar estas ofertas que somente os grandes investidores conseguem hoje em dia e, assim, participar dos possíveis ganhos exponenciais que investir em um negócio escalável proporciona. Para que isso funcione, você terá que montar um portfólio de investimentospara diluir seus riscos, mas sim, é possível novamente ter acesso a investimentos por possibilidade de ganhos exponenciais.

 

Linkedin_cover(1)

E nós da CapTable, a plataforma de investimentos em startups da StartSe, estamos aqui para tornar esse acesso ainda mais simples e fácil para que qualquer um que queira entrar na nova economia possa investir a partir de R$1 mil em startups selecionadas e que já tenham o seu modelo de negócio validado.

Hoje somos o mais importante player deste segmento de inovação do Brasil, ajudando mais de 1 milhão dr pessoas todos os anos a se atualizarem e entenderem as grandes mudanças que o mundo vem vivendo nos últimos anos, ajudando a te preparar para enfrentar este novo mundo que está surgindo. E essa é mais uma de nossas iniciativas, permitir que todos, de alguma forma participem da nova economia.

Hoje não é preciso ter uma boa ideia, você pode investir em uma.

Unknown-2

Acesse www.captable.com.br e descubra.

Deixe um comentário