Mercados mundiais iniciam a semana em queda

LinkedIn

ÁSIA: As bolsas asiáticas tiveram um início de semana ruim, já que os investidores estavam atentos às tensões com o Irã e com a evolução comercial EUA-China.

Na China continental, o índice Shanghai Composite caiu 0,98% na segunda-feira, enquanto o Shenzhen Composite recuou 0,91%.

O Hang Seng de Hong Kong caiu 0,81%, depois de mais um fim de semana de protestos violentos. O grupo de Turismo Fosun, o maior acionista da Thomas Cook, caiu 3,8% em Hong Kong depois que a empresa de turismo britânica de 178 anos decretou falência. As reservas para mais de 600.000 turistas globais foram canceladas segunda-feira. A Fosun International de Xangai caiu 1%.

Na Coréia do Sul, o Kospi recuou 0,01%, para 2.091,98 pontos, enquanto em Taiwan, o Taiex recuou 0,10% no Sudeste Asiático.

O S&P ASX 200 avançou 0,28% em Sydney. Entre as mineradoras, BHP caiu 0,1%, Fortescue avançou 1,3% e Rio Tinto fechou em alta de 0,5%.

Na Índia, as ações resistiram à tendência de queda regional. O Sensex da Índia avançou 2,93%, continuando o rali que começou na sexta-feira com o anúncio de um corte surpresa nos impostos e novos incentivos fiscais para empresas.

Os mercados de Tóquio permaneceram fechados por conta de um feriado.

No geral, o índice MSCI Asia ex-Japan caiu 0,15%.

EUROPA: As bolsas europeias operam em baixa nesta manhã de segunda-feira, com investidores reagindo aos dados econômicos mais fracos do que o esperado na Alemanha e ao colapso de uma das operadoras de turismo mais conhecidas do mundo.

O pan-europeu Stoxx 600 cai 1% durante as negociações no meio da manhã, com as principais bolsas em território negativo. Destaque para às quedas nos setores automobilístico, mineração e o índice bancário. A Faurecia da França, o Commerzbank da Alemanha e a ArcelorMittal da Holanda registram os piores desempenhos de seus respectivos setores, todos com queda de mais de 3%.

Entre as mineradoras listadas em Londres, Anglo American cai 2,8%, Antofagasta recua 2,4%, BHP perde 1,8% e Rio Tinto perde 0,3%.

Os dados de atividade da maior economia do bloco aumentaram temores da recessão e ajuda a fragilizar o sentimento do mercado. A atividade do setor privado alemão em setembro encolheu pela primeira vez em seis anos e meio, à medida que a recessão na indústria se intensifica inesperadamente e o crescimento no setor de serviços perde força. A leitura da Markit para o PMI composto alemão chegou a 49,1 em setembro, ante 51,7 no mês anterior.

O setor de manufatura foi particularmente preocupante, chegando em 41,4, a leitura mais baixa para a atividade das fábricas alemãs em mais de uma década, lembrando que qualquer número abaixo de 50 indica contração.

No setor corporativo, destaque para o colapso da operadora de turismo britânica Thomas Cook, colocando 22.000 empregos em risco em todo o mundo.

As companhias aéreas europeias e a operadora de turismo TUI lideram o topo do índice de referência regional. A easyJet da Grã-Bretanha se beneficia das notícias. O colapso da Thomas Cook pode reduzir o excesso de capacidade que prejudicou os lucros e pesou nos preços nos últimos anos. As ações da TUI saltam mais de 6%.

O Partido Trabalhista, de oposição na Grã-Bretanha, iniciou sua conferência anual do partido no fim de semana. Segundo a Reuters, o partido deve decidir entre duas questões sobre o Brexit na segunda-feira: fazer campanha para permanecer na UE em um segundo referendo ou adiar a decisão sobre qual posição tomar depois de uma eleição. O Reino Unido deve deixar a UE em 31 de outubro.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA operam com sinais contrários nesta segunda-feira de manhã.

As mudanças no sentimento do mercado ocorrem depois que as autoridades chinesas interromperam sua viagem para os Estados Unidos, onde mantiveram discussões com autoridades americanas. A China descreveu as negociações como “construtivas” e os dois lados disseram que permaneceriam em contato. O presidente Donald Trump disse que a China aumentaria as compras de produtos agrícolas dos EUA como parte de um acordo comercial bilateral.

O cancelamento pode ser visto por alguns investidores como um sinal de que os dois países não estão tão próximos de chegar a um acordo comercial. Como resultado, Wall Street terminou a sessão de sexta-feira em baixa.

Na agenda econômica, os PMIs de manufatura e serviços sairá às 10h45 da manhã

ÍNDICES FUTUROS – 7h30:

Dow: -0,07%

SP500: +0,02%

NASDAQ: +0,15%

OBSERVAÇÃO: Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Deixe um comentário