Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado nesta terça-feira

LinkedIn

O setor de companhias aéreas, que gastou quase todo o seu fluxo de caixa livre em recompras de ações nos últimos 10 anos, está pedindo assistência de US$ 50 bilhões ao governo, e o presidente Donald Trump parece inclinado a dar. Um salto nos futuros de ações durante a madrugada não aconteceu, e o clima está se tornando mais avesso ao risco a cada hora.

Filipinas se tornou o primeiro país a fechar seus mercados financeiros inteiramente, enquanto alguns reguladores da Europa impuseram proibições de venda a descoberto em algumas ações e produtos de índices. A Volkswagen e a Airbus anunciaram cortes de produção e os líderes da Europa se reúnem mais uma vez para coordenar sua resposta à crise crescente.

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros nesta terça-feira (17):

1. Companhias aéreas buscam auxílio de US$ 50 bilhões enquanto Trump alerta para recessão

As companhias aéreas pediram US$ 50 bilhões em assistência financeira, além de isenção fiscal, ao governo federal, enquanto elas lutam com uma crise que ameaça a superar até mesmo o período após os ataques de 11 de setembro.

Airlines for America, a associação da indústria, disse em seu website que pediu doações e empréstimos de até US$ 25 bilhões cada.

Em uma coletiva de imprensa na segunda-feira, o presidente Donald Trump disse: “Nós vamos apoiar as companhias aéreas… Nós temos de apoiar as companhias aéreas. Não é culpa delas.”

A Bloomberg reportou na terça-feira que, ao longo dos últimos 10 anos, as maiores companhias aéreas dos EUA gastaram 96% de seu fluxo de caixa livre na recompra de ações.

Em uma significativa mudança de tom, Trump disse na coletiva de imprensa que o coronavírus poderia durar até agosto e que a economia dos EUA pode entrar em uma recessão como resultado.

2. Filipinas fecha os mercados financeiros

Filipinas se tornou o primeiro país a fechar seus mercados financeiros por causa da crise de Covid-19.

A Bolsa de Valores de Manila caiu para cerca de um terço desde que o vírus começou a ocupar as manchetes na metade de janeiro, apesar de o governo ter ordenado que os fundos de pensão do estado aumentassem suas compras de ações na semana passada.

O país tem apenas 142 casos de Covid-19 confirmados, de acordo com dados da John Hopkins. O movimento segue uma instrução da segunda-feira do presidente Rodrigo Duterte para impor medidas de quarentena emergencial em Luzon, que corresponde a cerca de dois terços do PIB do país.

Restrições mais modestas sobre os mercados financeiros também foram impostas na Europa na terça-feira. França, Espanha e Itália impuseram restrições de venda a descoberto em ações e produtos de índices.

3. A aversão ao risco sobe novamente

A recuperação dos futuros de ações dos EUA ao longo da noite desapontou, fazendo com que os mercados financeiros tivessem apenas uma pequena recuperação na abertura.

Às 7h40 (horário de Brasília), os contratos futuros da Dow 30 estava em alta de 208 pontos, ou 1%, enquanto os contratos futuros do S&P 500 também subiam 1% e os futuros do Nasdaq 100 estavam em alta de 1,6%.

O índice S&P VIX, que fechou em sua máxima desde 2008 na segunda-feira, estava com pequena queda, a 80,66.

O dólar, que havia afundado na semana passada após o Federal Reserve eliminar o prêmio da taxa de juros do dólar, está em recuperação acentuada enquanto os investidores colocam um prêmio cada vez mais alto no ativo financeiro de maior liquidez e confiança do mundo.

4. Europa em quarentena 

O presidente Emmanuel Macron instruiu a população da França a ficar em isolamento por 15 dias para frear a disseminação do coronavírus. É a medida de saúde pública mais restritiva da Europa além da Itália.

Macron prometeu separar 300 bilhões de euros em apoio estatal à economia, cerca de 13% do PIB, sem oferecer muitos detalhes sobre como o valor seria gasto.

Ele também prometeu que nenhum negócio francês iria à falência ao longo do surto. Para contextualizar, mais de 4 mil empresas francesas foram à falência por mês, em média, em 2019.

A Europa continua a reportar um aumento acentuado de novas infecções, embora o ritmo de aumento na Itália, que sofreu com o pior surto, pareça estar desacelerando.

Os chefes de governo europeus participarão de outra teleconferência às 13h. A União Europeia já disse que irá suspender efetivamente suas regras fiscais enquanto durar a crise.

5. Volkswagen, Airbus e Renault irão suspender a produção

Mais das maiores empresas da Europa disseram que irão suspender a produção em suas fábricas, em meio a um plano de fundo de medidas de quarentena cada vez mais severas pelo continente.

A Volkswagen disse que irá suspender a produção na maior parte de suas fábricas europeias a partir de sábado, inicialmente para um período de duas semanas

Além disso, a Airbus disse que iria parar a produção em suas fábricas na França e na Espanha. A montadora Renault disse que paralisaria a produção na França na segunda-feira, e agora disse que irá suspender também a produção na Espanha.

Por Geoffrey Smith

Deixe um comentário