Bom dia ADVFN - Feriado no Brasil, estado de saúde de Kim Jong-Un, petróleo e resultados das empresas americanas são os destaques do dia

LinkedIn
Esse é o Bom dia, Investidor! 21 de Abril de 2020, com tudo o que você precisa saber!
Hoje não temos negociação na B3 devido ao feriado nacional de Tiradentes no Brasil mas os mercados internacionais continuam repercutindo a queda do contrato futuro do petróleo WTI para entrega em junho após crash nos preços do barril do petróleo americano West Texas Intermediate (WTI), nos contratos para maio – que vencem hoje.
O contrato de junho começa a valer a partir de amanhã e expira em 19 de maio.
Pesam também as notícias conflitantes sobre o estado de saúde do líder da Coreia do Norte, Kim Jong-Un, o que pode desestabilizar a geopolítica da Ásia em meio a uma pandemia e a uma recessão global não vista em 90 anos.
As bolsas de valores da Ásia fecharam hoje todas em queda com destaque para bolsa de Seul que encerrou o dia em queda de 1% e derrubou o valor da moeda sul-coreana, o Won, frente ao dólar.
As bolsas de valores da Europa abriram todas em queda e os futuros de Nova York estão negativos.
Nas bolsas americanas, tivemos os balanços da Coca-Cola, que bateu o consenso de lucro trimestral, mas reportou uma queda absurda nas vendas para abril, e teremos os resultados da United Airlines ou da Netflix que devem dar ao investidor uma ideia sobre as tendências estruturais, que devem se consolidar uma vez superada a pandemia.
Para amanhã, além dos balanços vindos dos EUA – que incluem AT&T, Alphabet e Delta Airlines – e dos indicadores econômicos, como a inflação no Reino Unido ou o índice de compras de gerentes do Japão, fique de olho na evolução da relação entre o Congresso e o governo do presidente Jair Bolsonaro depois da polêmica causada pela participação dele em atos contra o Parlamento e o Supremo Tribunal Federal. Os dados de estoques de petróleo nos EUA devem refletir forte aumento na Reserva Estratégica do país e acelerar os planos dos maiores produtores da commodity para reduzir a oferta.

Deixe um comentário