Embraer (EMBR3) vai à Justiça contra a Boeing; Ações despencam

LinkedIn

A Embraer realizou uma teleconferência na manhã desta segunda-feira (29) e segundo o Valor econômico, a empresa recorrerá à Justiça ou a uma câmara arbitragem para ser recompensada pelos danos sofridos com a extinção do acordo comercial firmado com a Boeing.

As ações da Embraer (BOV:EMBR3) abriram em forte queda e bateram o mínima de R$ 6,91. Em 2020 as ações já desvalorizaram mais de 50%.

O fim do acordo, que avaliava em US$ 5,3 bilhões a divisão de aviação comercial da Embraer, também lança incertezas sobre o futuro das duas companhias. O mercado teve uma grande mudança com compra de 51% do programa CSeries da Bombardier pela Airbus. Para a Boeing (BOV:BOEI34), a parceria representava um importante complemento de portfólio, com a oferta de jatos regionais. Já para Embraer, a aliança traria musculatura para enfrentar um concorrente revigorada em escala – a Bombardier lutava pela sobrevivência antes de se associar à Airbus em 2017.

Para analistas e executivos do setor, Embraer e Boeing perdem com o encerramento da parceria. E ambas sofrerão por algum tempo os impactos negativos da pandemia de covid-19 no mercado de aviação. A Boeing, que já vem bastante fragilizada com crise do 737 Max, deve encontrar amparo no governo americano. Já a Embraer “talvez” tenha a possibilidade de consolidar sua posição de liderança absoluta no mercado de jatos regionais, sendo este quase a única alternativa para as companhias aéreas que operem aviões menores que os de Boeing e Airbus.

A maior exportadora brasileira de tecnologia está renegociando contratos com fornecedores e tem acordos com os sindicatos de trabalhadores sobre corte de jornada e salários para economizar 1 bilhão de reais neste ano. O objetivo é preservar o caixa durante a tormenta. A Embraer já gastou 485 milhões de reais com a separação do negócio de jatos regionais das outras unidades, a de jatos executivos e a militar, e deveria receber 4,2 bilhões de dólares da Boeing neste momento com a esperada concretização da transação, que foi anunciada em julho de 2018.

Confira os principais pontos da teleconferência

Empresa identifica US$1 bilhão em possível redundâncias para proteger caixa da Cia. Liquidez continua saudável;

Executivo da Embraer alega que Boeing (BOEI34) invocou razões erradas para encerrar associação;

Embraer trabalha para restabelecer guidance o mais rápido possível, mas momento impede visibilidade;

Embraer já deu início a procedimento de arbitragem contra a Boeing, diz executivo;

Vê impacto limitado do encerramento de negócio com a Boeing no negócio de jatos executivos;

Ainda parece cedo para medir o impacto do cancelamento da associação com a Boeing, dizem executivos da Embraer;

Embraer não vê nenhum tipo de evento de liquidez, está com caixa suficiente para encarrar necessidades de capital de giro.

Bolsonaro diz que Embraer pode ser negociada com outra empresa

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira que o Brasil pode negociar a venda da Embraer para outra empresa, após a americana Boeing desistir da compra. Bolsonaro ressaltou que a decisão é sua porque o governo federal tem a chamada golden share, uma ação de classe especial.“Estamos avaliando. Tem golden share, é minha, eu que assino. Se o negócio realmente for desfeito, talvez recomece uma nova negociação com outra empresa”, disse Bolsonaro, na saída do Palácio da Alvorada.

Bradesco BBI corta preço-alvo

Após Boeing cancelar fusão, Bradesco BBI mantém venda e corta preço-alvo da ADR da Embraer de US$ 25 para US$ 4.

*com informações do Valor e Exame

Deixe um comentário