Histórico: OPEP e aliados concordam em cortar 10 milhões de barris por dia na produção

LinkedIn

A OPEP e seus aliados, conhecidos como OPEP +, concordaram na quinta-feira (09) com cortes históricos na produção que deixarão 10 milhões de barris por dia, à medida que a pandemia de coronavírus diminuiu a demanda por petróleo.

O grupo cortará 10 milhões de barris por dia em maio e junho, 8 milhões de barris por dia de julho até o final do ano e 6 milhões de barris por dia, começando em janeiro de 2021 e estendendo-se até abril de 2022.

O acordo não dependia de países fora da OPEP + que restringissem a produção.

“Embora 10 milhões de bpd ajudem o mercado a curto prazo a não abastecer o armazenamento, é um desenvolvimento decepcionante para muitos, que ainda percebem o tamanho do excesso de oferta de petróleo”, disse Bjornar Tonhaugen, diretor de mercados de petróleo da Rystad Energy.

Os preços do petróleo caíram na quinta-feira (09), devolvendo um ganho anterior de mais de 12%, já que os investidores aguardavam detalhes sobre cortes de produção da OPEP e de seus aliados, conhecidos como OPEP +.

O petróleo bruto West Texas Intermediate, WTI (NYMEX:CL\K20) caíram 9,29%, para fechar em US$ 22,76 por barril. O petróleo Brent (NYMEX:BZ\M20) de referência internacional fechou em  queda de 4,5%, ficando em US$ 31,35 por barril.
No Brasil, as empresas correlacionadas com o petróleo tiveram forte queda até o momento (15:30 horário de Brasília) com 6,5 % da Enauta (ENAT3),  10,4% da Petrorio (PRIO3) e 3,4% da Petrobras (PETR4/PETR3).

Deixe um comentário