Imposto de Renda, tributos e contribuições, confira tudo que foi adiado ou sofreu alterações por causa do coronavirus

LinkedIn

Desde que os primeiros casos de coronavírus foram identificado no Brasil medidas de isolamento social foram anunciadas por governos estaduais e municipais em todo o país, contudo, as medidas impactaram fortemente no funcionamento de negócios e na renda de empresários e trabalhadores, além de atingir fortemente a economia e o mercado de capitais.

Para amenizar o impacto da queda de lucratividade entre empresas e a queda da renda entre trabalhadores o Governo Federal anunciou uma série de medidas que também impactam as empresas de criptomoedas e os investidores de criptoativos.

Uma das principais medidas que afetou os usuários de criptomoedas foi a prorrogação do prazo para apresentação da Declaração Anual de Imposto de Renda, na qual, detentores de criptoativos que se enquadram nas regras da Receita, devem declarar a posse de seus ativos digitais.

Já no caso de empresas de Bitcoin, há mais medidas anunciadas que acabam por beneficiar essas empresas, que, mesmo com a crise, registraram aumento de até 200% nas negociações em suas plataformas e até 30% de novos usuários.

Confira tudo que o Governo Federal já anunciou até o momento:

Prorrogação do pagamento dos tributos do Simples Nacionalpor 6 meses, relativos aos períodos de março, abril e maio. A medida vale para pequenas empresas e também se aplica aos Microempreendedores Individuais (MEIs)

Adiamento e parcelamento do FGTS dos trabalhadores, desta forma o pagamento poderá ser feito só a partir de julho, em 6 parcelas fixas.

Adiamento do PIS, Pasep, Cofins e da contribuição previdenciária, assim, o vencimento de abril e maio, relativo às competências de março e abril, passou para agosto e outubro.

Redução da contribuição obrigatória ao Sistema S. As contribuições obrigatórias das empresas ao Sistema S serão reduzidas em 50% por 3 meses

Redução do IOF sobre operações de crédito por 90 dias, com a medida, a alíquota que era de 3% ao ano foi zerada, porém o benefício vale para as operações de crédito contratadas entre 3 de abril e 3 de julho.

Prorrogação do prazo de entrega da declaração do Imposto de Renda por 60 dias. O prazo final passou de 30 de abril para 30 de junho. Também foi prorrogado para o dia 30 de junho o prazo para a apresentação da Declaração Final de Espólio e da Declaração de Saída Definitiva do País para estrangeiros ou brasileiros que moram no exterior.

Redução de IPI de produtos médico-hospitalares. O IPI para estes produtos foi zerado até 30 de setembro para artigos de laboratório ou de farmácia, luvas, termômetros clínicos e outros produtos utilizados na prevenção e tratamento do coronavírus.

Redução de imposto de importação de produtos médico-hospitalares. Também foi zerada as tarifas de importação de produtos farmacêuticos e equipamentos médico-hospitalares utilizados no combate ao novo coronavírus. O período com alíquotas zeradas vai até 30 de setembro.

Prorrogação da validade de certidões de débitos e créditos tributários por 90 dias do prazo de validade das Certidões Negativas de Débitos (CND) e das Certidões Positivas com Efeitos de Negativas (CNEND) já emitidas, ambas relativas a Créditos Tributários federais e à Dívida Ativa da União.

Por Cassio Gusson

Deixe um comentário