Milionário preso por assassinato da esposa em caso de sequestro e pedido de resgate de US$ 10 milhões em criptomoeda

LinkedIn

Quando o milionário norueguês Tom Hagen relatou que sua esposa havia sido seqüestrada em outubro de 2018, foi incluída uma nota de resgate exigindo US$ 10 milhões da criptomoeda Monero.

Agora, após a prisão de Hagen pelas autoridades locais em 28 de abril por suspeita de assassinato de Anne-Elisabeth Hagen, parece que o pedido de resgate pode ter sido simplesmente uma maneira de encobrir o crime.

O caso tomou conta do país e a Reuters informou em 29 de abril que o oficial da polícia local Aase Kjustad Eriksson disse em entrevista coletiva que, após uma investigação de 18 meses, a polícia agora tinha “motivos para suspeitar de Tom Hagen por assassinato ou conspiração por assassinato”.

Ele ainda não foi acusado do crime. No entanto, o inspetor da polícia Tommy Broeske disse: “não houve seqüestro, nenhuma contraparte de negociação real ou negociações reais. Há indicações de uma vontade [sic] de desviar [a investigação].”

O advogado de Hagen disse que ele negou qualquer envolvimento.

US$10 milhões em Monero como resgate

Como uma das pessoas mais ricas da Noruega, Hagen possui aproximadamente US$ 161 milhões. Não se sabe exatamente quanto ele investiu em Bitcoin (BTC) ou outros ativos digitais. Sua esposa, Anne-Elisabeth, desapareceu de sua casa perto de Oslo em 31 de outubro de 2018.

Apesar da virada nesse caso, houve casos em que a criptomoeda foi paga como resgate. Em janeiro, Mark Cheng, de Singapura, foi feito refém na Tailândia e torturado por um resgate de US$ 740.000 em BTC. Ele transferiu US$ 46.000 antes de conseguir escapar.

Por Turner Wright

Deixe um comentário