Petróleo despenca 24% nesta segunda com receio de armazenamento

LinkedIn

Os preços do petróleo WTI caíram mais de 20% na segunda-feira, com receios de que o armazenamento em todo o mundo encha em breve, à medida que o surto de coronavírus continua agitado.

O WTI para entrega em junho cai 24%, sendo negociado a US$ 12,90 por barril, enquanto o petróleo de referência internacional Brent cai 6,4% a US $ 20,07 por barril.

O WTI, o benchmark dos EUA, caiu mais que o Brent, já que os traders observam rápido enchimento dos tanques em Cushing, Oklahoma, que é a maior instalação de armazenamento nos EUA, além da Reserva Estratégica de Petróleo. Os estoques dos EUA subiram 15 milhões de barris, para 518,6 milhões de barris na semana que terminou em 17 de abril, de acordo com a Associação de Informação de Energia dos EUA.

Observado de perto em Cushing, Oklahoma, o petróleo armazenado subiu cerca de 10% em uma semana para 59,7 milhões de barris, cerca de 25 milhões de barris a menos que sua capacidade.

Com os preços em níveis tão baixos – WTI e Brent caíram 72% e 68% este ano, respectivamente – os produtores estão lutando para alcançar o ponto de equilíbrio. No domingo, a Diamond Offshore Drilling, com sede em Houston, entrou com pedido de proteção contra falência, e analistas dizem que mais falências podem estar chegando.

Na última segunda-feira, o WTI caiu abaixo de zero e em território negativo pela primeira vez na história, enquanto os detentores do contrato para entrega em maio – que estava programado para expirar no dia seguinte – lutavam para vender seu contrato. Mas, como a demanda por petróleo não deve se recuperar tão cedo, e sem ter como armazenar petróleo, não havia comprador do outro lado.

No início de abril, a Opep e seus aliados produtores de petróleo concordaram com um corte histórico na produção que deixaria 9,7 milhões de barris por dia de produção off-line a partir de 1º de maio. Vários produtores norte-americanos, incluindo Exxon e Chevron, também disseram que reduziriam, mas os investidores temem que simplesmente não seja rápido o suficiente. Além de caro, o fechamento de poços também pode levar tempo.

Michael Hsueh, do Citi, disse que os preços não se recuperam até que haja uma recuperação significativa na demanda.

“Nós precisaríamos ver uma recuperação na demanda de produtos petrolíferos nos mercados de usuários finais, por exemplo, motoristas, companhias aéreas e fabricantes, já que os países relaxam cautelosamente a quarentena possivelmente em maio, mas com mais chance de ocorrer em junho”, disse ele na sexta-feira uma nota para os clientes.

 

 

Deixe um comentário