Bitcoin cai 500 dólares em um dia mas empresa de análise prevê alta, entenda

LinkedIn

O Bitcoin está tentando se manter no nível de US $ 9 mil. Depois de testar a resistência de US$ 9.900 por vários dias consecutivos, fazendo muita gente se animar por um possível US$ 10 mil, a moeda despencou e já perdeu mais de US $ 500 na sua cotação.

A atenuante queda reacendeu os medos de que estamos para entrar em um novo mercado de urso, outros especulam que é resultado da capitulação dos mineradores por causa do halving, enquanto outros já falam do fim do Bitcoin.

No entanto, essa mais recente queda coloca dois caminhos indo em direção contrária. Primeiro, temos o valor de mercado da moeda, que não aparenta estar nem um pouco a favor dos investidores em posições longas. De outro, temos os valores fundamentais da moeda, que permanecem saudáveis.

Bitcoin perde mais de US $ 500 em um dia, mas por que?

O Bitcoin sempre foi e continua sendo um grande mistério em suas movimentações. Por ser um mercado que respeita apenas, em teoria, a lei da oferta e demanda, grandes vendas e grandes compras podem derrubar o preço, sem contar a manipulação por baleias, que não é tão incomum.

Com isso, uma queda assim é ao mesmo tempo imprevisível e esperada. No entanto, algo aconteceu recentemente que está sendo usado como catalisador dessa queda.

Ontem, 40 bitcoins em uma carteira de 2009 foram movimentados pela primeira vez. Isso fez muita gente especular que era Satoshi começando a movimentar os seus milhões de Bitcoins.

Enquanto a transação claramente não é de Satoshi, muita gente acreditou em uma grande liquidação da lendária quantia do criador do Bitcoin e consequentemente o mercado entrou em pânico.

Com isso, o preço da moeda começou a cair e ainda mais pessoas entrar em pânico de venda e o ciclo está se repetindo no curto prazo.

Fundamentos ainda indicam possibilidade de alta

Essa não é a primeira vez (e nem será a última) que o Bitcoin vai dar um grande susto nos investidores. E se analisarmos a situação geral do ecossistema e da economia mundial, ainda há motivos para acreditar em uma valorização no médio a longo prazo.

A TowerWatch, uma coluna da empresa BlockTower, exemplificou alguns dos motivos para acreditar em uma futura valorização da maior criptomoeda do mundo.

Primeiro, o post no mediun destaque que os investidores estão ficando acostumados com a alta volatilidade do mercado de criptoativos, mas melhor do que isso, estão notando que esse comportando não é único da indústria.

Durante o começo da crise, o Bitcoin caiu par o nível abaixo de US$ 5 mil. No entanto, a S&P 500 e outras bolsas tradicionais demonstraram o mesmo nível de queda. No entanto, o Bitcoin se recuperou muito mais rápido que suas contrapartes.

Isso mostra que, mesmo em questão da volatilidade, o BTC tem mais força que muitas opções de ações tradicionais, que estão sujeitas a quedas repentinas e recuperações mais lentas

Além disso, temos também a atual pandemia, que tem mudado consideravelmente o cenário geral.

O Coronavírus continua sendo uma força de demanda ao Bitcoin

A BlockTower aponta em seu artigo que o S&P “está na UTI”, as ações que estão mantendo a bolsa viva são as de empresas do setor digital. Com a pandemia e o lockdown, a demanda por produtos digitais aumentou, o que valorizou essas empresas.

Mas isso vai além das comodidades do dia a dia. A BlockTower acredita que a demanda pelo Bitcoin vai aumentar no mundo pós-Covid-19, já que a moeda se encaixa muito bem com essa próxima realidade.

“O vírus forçou uma transformação da sociedade em um mundo digital, então as companhias digitais estão se dando bem. Com essa transformação vai vir uma maior aceitação do conceito de dinheiro digital.”

O Bitcoin é o primeiro (e mais conhecido) dinheiro da internet. Com cada vez mais confiança na internet por parte do público, mais se confiará no que ela tem para oferecer, incluindo financeiramente.

Corrosão do sistema financeiro também é um ponto de suporte

A BlockTower também de destaca que a crise financeira global vai ter um papel importante na valorização do Bitcoin. Essa é uma teoria mantida por muitos especialistas que acreditam que o Bitcoin vai se provar uma boa reserva de valor.

O artigo aponta para o fato de que, as táticas de flexibilização quantitativa de 2009 não funcionaram dessa vez, deixando o público muito menos confiante nos poderes dos Bancos Centrais.

“Onze anos depois (da primeira crise), ao enfrentar outra crise – A flexibilização quantitativa foi adotada em um nível ainda maior…mas falhou. Quando o Federal Reserve cortou as taxas de juros, o mercado foi liquidado. Depois cortaram a taxa de juros para zero…outra liquidação.”

O sangramento só foi parado após o Congresso liberar ainda mais impressão de dinheiro e distribuição de capital para os indivíduos.

Todo esse processo, no entanto, feriu completamente o FED e a sua reputação, principalmente a das moedas fiduciárias para enfrentar crises.

Esses catalizadores, segundo a BlockTower, podem levar o Bitcoin para US$ 14 mil no médio prazo, no entanto, a moeda primeiro precisaria romper a resistência de US$ 10.500.

Em meio a essa queda, muitos investidores despejam suas moedas, enquanto baleias enchem os bolsos e acumulam para novas altas.

Por Matheus Henrique

Veja o Ranking das principais criptomoedas

Deixe um comentário