Usiminas (USIM5) no 2T20: registra prejuízo de R$ 395 milhões revertendo o lucro do 2T19

LinkedIn

A Usiminas registrou prejuízo de R$ 395 milhões no 2T20, revertendo assim o lucro de R$ 171 milhões apurado no mesmo período de 2019. O Ebitda caiu 63% no segundo trimestre deste ano e atingiu R$ 208 milhões. No mesmo período do ano passado, a Usiminas obteve Ebitda de R$ 570 milhões. No primeiro semestre de 2020, as perdas da companhia foram de R$ 819 milhões.

Em uma base ajustada, o Ebitda ficou em 192 milhões de reais, declínio de 67% ano a ano, com a margem caindo pela metade, para 8%.

Estimativas compiladas pela Refinitiv apontavam, na média, prejuízo líquido de 170,15 milhões de reais e Ebitda de 218,18 milhões de reais.

Outros eventos com efeito negativo no Ebitda da companhia no trimestre foram a provisão para contratos onerosos de insumos e serviços na Unidade de Siderurgia, relacionados aos efeitos da pandemia da covid-19 no montante de R$ 51 milhões, dos quais R$ 34 milhões impactaram os custos e R$ 16 milhões impactaram outras receitas (despesas) operacionais. A companhia também cita provisão para créditos de liquidação duvidosa em R$ 19 milhões na Unidade de Siderurgia e a provisão para reestruturação na Unidade de Bens de Capital no montante de R$ 19 milhões.

De janeiro a junho, a receita líquida da Usiminas ficou em R$ 6,23 bilhões, ante R$ 7,22 bilhões o que representou queda de 14% no comparativo com o mesmo período do ano anterior.

O Ebitda de abril a junho foi de 9% ante 15% na mesma base de 2019, queda de 6 pontos percentuais.

De janeiro a junho de 2020, conforme os dados da companhia, o Ebitda apurado foi de R$ 747 milhões, queda de 28% em relação ao exercício anterior. No primeiro semestre de 2019, a Usiminas obteve Ebitda de R$ 1,04 bilhão.

A produção de aço bruto da Usiminas caiu 36% no segundo trimestre, para 533 mil toneladas. No mesmo período de 2019, a companhia produziu 833 mil toneladas. No semestre, a produção de aço bruto chegou a 1,3 milhão de toneladas ante 1,63 milhão de toneladas, queda de 20% em relação ao mesmo período do ano passado.

Na produção de laminados, o recuo foi de 39% no segundo trimestre, para 676 mil toneladas, ante 1,1 milhão de toneladas um ano antes. De janeiro a junho, a Usiminas laminou 1,75 milhão de toneladas de aço, o que representou queda de 16% ante igual intervalo de 2019, quando foram produzidas 2,07 milhões de toneladas.

A Usiminas informou ainda que a produção de minério de ferro no segundo trimestre aumentou 15%, para 2 milhões de toneladas. No semestre, a produção foi de 4,17 milhões de toneladas, ante 3,08 milhões de toneladas de janeiro a junho de 2019, o que representou um crescimento de 35%.

As vendas de minério de ferro subiram 7% no trimestre, para 1,9 milhão de toneladas. Do volume vendido no segundo trimestre, a maior parte foi destinada ao mercado externo. Foram exportadas 1,34 milhão de toneladas, aumento de 145% ante um ano antes. No semestre, a Usiminas vendeu 4,15 milhões de toneladas, 12% a mais do que os 3,66 milhões de toneladas apurados de janeiro a junho de 2019.

Fonte Reuters, Valor, Isto é Dinheiro

 

Deixe um comentário