Azul anunciou que pretende operar 407 decolagens diárias no mês de setembro

LinkedIn

A Azul (BOV:AZUL4) anunciou que espera operar 407 decolagens diárias nos dias de maior demanda em setembro.

“A capacidade doméstica total no mês representará aproximadamente 55% da capacidade doméstica e 45% da capacidade total da companhia, no mesmo período do ano passado”, informa.

Desde abril, a Azul aumentou em cinco vezes a capacidade doméstica.

Além disso, irá voar novamente para oito destinos domésticos, totalizando 88 cidades atendidas.

“Estamos felizes em ver que a demanda de passageiros está retornando, o que já nos permite ter 45% da capacidade do ano passado”, diz Abhi Shah, diretor de receita da Azul.

“Isso se compara de forma muito positiva com a nossa visão conservadora de recuperação de demanda em 40% até dezembro”, ressalta.

Retomada em agosto

A Azul já havia informado, há uma semana, a retomada das atividades em oito bases em todo o Brasil.

Além disso, a ampliação da oferta de voos de sua malha doméstica em agosto.

Conforme a nota, em agosto, a Azul deve operar 303 voos diários, um crescimento de 290% no comparativo com abril.

Segundo Shah, para agosto, a Azul volta a “conectar importantes cidades do interior de estados brasileiros, reforçando a vocação regional e a conectividade”.

Liquidez da Azul

Domingo (2), a Azul informou que sua liquidez ao final do segundo trimestre, incluindo caixa e equivalentes, investimentos de curto-prazo, e contas a receber totalizou R$ 2,3 bilhões.

Este valor é superior ao do trimestre anterior, que ficou em R$ 2,2 bilhões.

Conforme a empresa, a projeção era de posição de liquidez de R$ 2,0 bilhões ao final do segundo trimestre.

A Azul também havia estimado uma queima de caixa diária entre R$ 3 milhões e R$ 4 milhões em maio e junho.

“Graças ao apoio de nossos parceiros e à dedicação de nossos tripulantes, conseguimos aumentar a posição de caixa da companhia no segundo trimestre, que foi sem dúvida o mais desafiador da história da indústria da aviação”, disse Alex Malfitani, CFO da Azul.

Segundo ele, o plano de recuperação da Azul está sendo bem sucedido.

“Conseguimos satisfazer nossa necessidade de liquidez de curto prazo”, disse.

O executivo se disse “confiante” na “habilidade de atravessar esta crise”.

Além disso, “restaurar nossa posição como uma das mais rentáveis empresas aéreas da região”, acrescentou.

Fonte Eu quero investir

Deixe um comentário