Banco Voiter, ex-Indusval: Minoritários se opõem a reorganização

LinkedIn

Acionistas minoritários do Banco Voiter, o ex-Indusval (BOV:IDVL3) (BOV:IDVL4), estão se colocando contra todo o processo de reorganização anunciado pela instituição financeira, incluindo a saída do Nível 2 da B3. Nenhum minoritário que votou sobre esse tema foi favorável. Segundo o mapa de votos da assembleia que deliberou sobre o tema, apenas o controlador do banco, Roberto Rezende Barbosa, que tem 74,66% do banco, e seus sócios, votaram a favor.

As informações foram divulgadas pelo Broadcast nesta sexta-feira (28).

Existe um processo de acionistas minoritários, que se sentiram lesados pela reorganização do Voiter, em andamento na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Eles acusam o banco de fixar os preços de suas ações na oferta pública de aquisição (OPA) inferiores aos de mercado, no primeiro laudo de avaliação da instituição financeira. Segundo eles, ainda, houve falta de transparência na governança, além de abuso de poder na migração de ativos para uma holding fechada. Procurado pela Broadcast, o Indusval não comentou.

O conselho de administração do banco Indusval aprovou a realização de uma oferta pública de aquisição de ações (OPA) para que a companhia possa sair do Nível 2 de governança da B3. A medida faz parte de uma ampla reestruturação, que inclui o uso de um novo nome, “Voiter”, e a criação de uma nova holding.

Comentários

  1. Marcondes diz:

    Prezados,

    Boa Tarde!

    Eu sou sócio minoritário do Indusval e embora não participei das assembléias, concordo que a maioria sairá com prejuizo, inclusive eu.

    Se o sócio minoritário tem prejuizo porque a ação cai de preço, tudo bem. Mas, forçar uma saída do referido nível e forçar um preço por ação do qual sabe-se que resultará em prejuizo é, no mínimo, uma atitude de má-fe.

    Este senhor, sócio majoritário, ao meu ver não será bem sucedido em seus negócios, vez que essa reorganização resultará em prejuizos para vários sócios que acreditaram na Cia.

    Existem três dispositivos suspensivos e um destes passa pelo Banco Central, que devia verificar tudo antes de dar a aprovação, e se ficar provado que resultará em prejuizo para a maioria dos minoritários, que suspenda tal processo de reestruturação societária.

    É o que penso, mas neste mercado, quem tem poder são os majoritários e esta será mais uma história em que os sócios minoritários absorverão os prejuizos.

    Att.,
    Sócio minoritário ON

Deixe um comentário