Bitcoin iguala Netflix em capitalização de mercado total

LinkedIn

A capitalização de mercado do bitcoin, o preço total de mercado de todas as moedas somadas, vale tanto quanto a Netflix e outras grandes empresas.

O valor de mercado do bitcoin é medido somando o valor de todas as ações, tokens ou moedas em circulação, multiplicado pelo preço de mercado atual, conforme reportou o Decrypt.

O Bitcoin está em US$216 bilhões e está ficando cada vez maior, atingindo totais não vistos desde o início de 2018.

A atual capitalização de mercado do bitcoin se compara a empresas como a Netflix, valendo cerca de US$218 bilhões e a gigante das telecomunicações AT&T, com cerca de US$213 bilhões.

A Netflix é uma provedora global de filmes e séries de televisão via streaming, atualmente possui mais de 160 milhões de assinantes.

A capitalização de mercado do bitcoin atingiu o pico em dezembro de 2017, em mais de US$300 bilhões.

Se os preços aumentassem para gerar números semelhantes hoje, isso colocaria a maior criptomoeda do mundo no mesmo nível de empresas como JP Morgan Chase e Mastercard, com valores de mercado de US$$302 bilhões e US$328 bilhões.

Para um protocolo cuja intenção é substituir instituições financeiras, ser comparado com grandes empresas parece até um sonho tornando realidade.

O Ethereum, lançado em 2015, é substancialmente menor do que o bitcoin, com uma capitalização de mercado de cerca de US$44 bilhões.

Mesmo assim, o Ethereum chega ao mesmo nível de empresas como a fabricante de computadores Dell, e a empresa de serviços financeiros Charles Schwab, que empregam milhares de pessoas em todo o mundo e geram dezenas de bilhões de receitas anualmente.

A maioria das empresas com capitalização de mercado na casa dos bilhões passou décadas construindo seus negócios, investindo milhões para construir infraestrutura proprietária e práticas de negócios.

É impressionante como o Bitcoin e Ethereum subiram para competir na avaliação geral com algumas das empresas mais conhecidas nos Estados Unidos e em todo o mundo.

Por Mirian Romão

Deixe um comentário