Santos Brasil (STBP3) no 2T20: prejuízo de R$ 9,4 milhões

LinkedIn

A operadora de terminais portuários Santos Brasil registrou prejuízo de R$ 9,4 milhões no segundo trimestre, revertendo ganho de R$ 6,3 milhões alcançado no mesmo período de 2019. Segundo a companhia, parte do recuo na receita é justificada pela queda dos preços praticados, decorrente da mudança do modelo de aplicação da Tarifa de Utilização Portuária (TUP) da Santos Port Authority, que deixou de ser faturada no terminal e passou a ser cobrada diretamente dos armadores…

Os resultados da Santos Brasil (BOV:BTSP3) referente a suas operações do segundo trimestre de 2020, foram divulgados no dia 11/08/2020.
Ebtida – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – somou R$ 42,2 milhões, uma diminuição de 28,1%. A margem Ebtida atingiu 18,8%, baixa de 4,4 pontos percentuais na comparação anual.
→ A Santos Brasil possui R$ 3,62 bilhões de valor de mercado. Confira a Análise completa da empresa com informações exclusivas.

A receita de abril a junho somou R$ 224,8 milhões, queda de 15,1% na comparação anual. Segundo a companhia, parte do recuo na receita é justificada pela queda dos preços praticados, decorrente da mudança do modelo de aplicação da Tarifa de Utilização Portuária (TUP) da Santos Port Authority, que deixou de ser faturada no terminal e passou a ser cobrada diretamente dos armadores.

A dívida líquida encerrou o segundo trimestre em R$ 83,9 milhões, um aumento de 323,7%. A alavancagem financeira, medida pela relação dívida líquida/Ebtida ajustado, ficou em 0,78 vez no final do trimestre. Enquanto no segundo trimestre de 2019, a alavancagem era de 0,17 vez.

A companhia também foi afetada pela queda de 59,4%, para R$ 6,7 milhões, na receita líquida do terminal de veículos, devido ao desaquecimento das vendas de veículos no mercado doméstico e, principalmente, pela retração das exportações.

Os custos, por outro lado, caíram 8,7%, para R$ 174,8 milhões, principalmente devido ao fim da cobrança da TUP diretamente pelos terminais.

Já a última linha do resultado foi afetada, além da queda na receita do terminal de veículos, pelo recuo nos volumes de cais e armazenagem no Tecon Santos e a piora no mix de importação.

Teleconferência

Santos Brasil, operadora de terminais portuários de contêineres, avalia que o pior da crise já passou e que, no segundo semestre, haverá uma retomada na movimentação do terminal de Santos, segundo Daniel Dorea, diretor financeiro e de relacionamento com investidores.

“Alguns sinais positivos indicam que o pior já passou, salvo [haja uma] segunda onda [da pandemia]. Os próximos trimestres deverão se mostrar mais benignos. Na última quinzena de julho já vemos uma maior consignação de navios e, em agosto, não deve haver mais cancelamentos no terminal de Santos”, disse o executivo, em teleconferência com analistas.

Durante o auge da pandemia, a companhia sofreu com diversos cancelamentos de viagens – primeiro devido à paralisação nos terminais chineses e, depois, pela queda de demanda no Brasil.

No segundo trimestre deste ano, a empresa registrou queda de 19,8% no total de contêineres movimentados nos terminais do grupo. Em Santos, principal operação da companhia, a retração foi de 22%, devido à maior exposição às importações e ao transporte de cabotagem.

A Santos Brasil também reiterou sua intenção de participar de leilões no Porto de Santos e diversificar sua atuação, hoje focada em contêineres. A companhia não pretende participar da próxima concorrência, que deverá ser o arrendamento de terminais de celulose no cais santista, segundo o presidente, Antônio Carlos Sepúlveda.

O executivo disse, porém, que a empresa deverá olhar com mais detalhe o leilão seguinte. O porto de Santos planeja licitar um megaterminal de granéis líquidos, hoje operado pela Transpetro.

Fonte Valor

Deixe um comentário