Shinzo Abe, primeiro-ministro do Japão, renuncia por problemas de saúde

LinkedIn

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, anunciou sua renúncia em uma entrevista coletiva na sexta-feira (28), citando motivos de saúde. O mandato atual de Abe não terminaria antes de 2021.

As bolsas no Japão recuaram após os relatórios iniciais e o iene se fortaleceu em relação ao dólar, sendo negociado a 106,2.

A confirmação veio depois que a emissora nacional NHK e outros meios de comunicação locais relataram seus planos de renunciar para lidar com um problema de saúde. O líder japonês tinha visitado um hospital duas vezes nas últimas duas semanas, de acordo com a emissora.

Abe sofre de uma doença inflamatória intestinal crônica  e teve que deixar o cargo de primeiro-ministro em 2007, após um surto. Ele voltou ao cargo principal depois que seu partido registrou uma vitória eleitoral esmagadora em 2012.

Desde que retomou o cargo de primeiro-ministro, Abe tem procurado fazer uma economia do Japão por meio de um pacote de políticas batizado de Abenomics.

Embora a pandemia de coronavírus tenha atingido as economias em todo o mundo, o Japão já estava se recuperando de uma queda nos gastos do consumidor depois que aumentou a taxa de imposto sobre o consumo. O país entrou em recessão técnica depois que sua economia encolheu a uma taxa anualizada de 3,4% no trimestre de janeiro a março.

A economia do Japão contraiu a uma taxa anualizada de 27,8% no trimestre de abril a junho, marcando seu terceiro trimestre de quedas. A Reuters informou que a queda eliminou os ganhos das políticas de estímulo da Abenomics.

Fonte CNBC

Deixe um comentário